Palmas

Foto: Divulgação

A análise do processo de contratação da empresa Terra Clean, responsável pela limpeza urbana de Palmas, por parte do Ministério Público Estadual deve ser concluída esta semana. Foi o que estimou ao Conexão Tocantins o promotor responsável pela averiguação, Adriano das Neves. “Estou com o processo concluso para analisar e espero concluir até o final de semana”, frisou. Ele não descarta a possibilidade de pedir a suspensão do contrato da prefeitura com a empresa.

 Seis pessoas, dentre atuais e ex-servidores da pasta de Transparência e Controle Interno, foram ouvidos pelo promotor que aguarda ainda informações que ele pediu sobre os proprietários da empresa em São Paulo.

 Paralelo ao processo de averiguação no MPE a Câmara de Palmas já tem protocolado um pedido de abertura de uma CPI para investigar o contrato da empresa. O pedido está na Comissão de Constituição e Justiça, presidida por José Hermes Damaso (PR) mas ainda não tem data marcada para ser analisado pelos membros.

 O vice-presidente da Comissão, vereador Lucio Campelo (PR) disse ao Conexão Tocantins que vai solicitar que seja realizada uma reunião da Comissão para analisar o pedido de abertura da CPI. Além da reunião, o pedido de abertura da CPI, que teve nove assinaturas, precisa ainda ser analisado pela Procuradoria da Câmara que vai dará um parecer analisando a legalidade do pedido.

Durante a sessão desta quarta-feira, 4, o vereador Lucio afirmou que tem sido procurado por vários setores da comunidade que cobram a instalação da CPI do Lixo que se instalada deverá ouvir o ex-secretário João Lira que deixou a pasta após apresentação do relatório sobre o contrato que apresentou possíveis irregularidades no processo. Alguns vereadores sugeriram que a averiguação sobre a questão do lixo inclua a gestão anterior quando estourou o escândalo da contratação da Delta.