Estado

Foto: Aldenes Lima

A construção de 350 unidades habitacionais em 64 aldeias de cinco regiões dentro do município de Tocantínia. Estas foram algumas das definições do encontro entre o titular da Secretaria Estadual das Cidades, Habitação e Desenvolvimento Urbano, Raimundo Frota, com o prefeito do município, Muniz Araújo, o coordenador regional da Funai – Fundação Nacional do Índio, Clésio Fernandes, o gerente regional da Caixa Econômica Federal, Jairan Bandeira Gomes, e o representante da ACA – Associação Comunitária de Ananás, Wilson Saraiva. A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira, 5.

As unidades em debate contemplarão as comunidades indígenas Xerentes e serão divididas em 100 casas na zona urbana e 250 na zona rural. “As unidades na zona urbana darão apoio, principalmente, aos jovens que vem das aldeias para continuar os estudos”, destacou Muniz Araújo, acrescentando que o projeto idealizado pela SCidades atenderá inicialmente 2.160 pessoas.

Segundo Raimundo Frota, a reunião, que é a segunda com este objetivo, teve seu destaque pela participação da Caixa. “Com o levantamento feito pelo município e pela Funai das demandas e das áreas onde poderão ser implantadas as unidade e a apresentação do projeto arquitetônico pela SCidades, recebemos a orientação da Caixa, sobre o que exatamente encaminhar para a instituição, para termos a aprovação imediata do projeto”, afirmou o secretário, acrescentando que sem os esforços dos parceiros não seria possível a realização dos empreendimentos.

Para Jairan Gomes a carência do público alvo não se discute. “Com a necessidade comprovada, a disponibilidade técnica da Secretaria e o envolvimento da entidade, temos tudo para aprovar o projeto, pois a Caixa, hoje, possui recursos para isso”, ressaltou.

A orientação do gerente foi a entrega dos projetos (arquitetônicos e de engenharia), das planilhas orçamentárias e da documentação do terreno para a construção de 100 unidades na Vila Akwen, dentro da cidade. A ação ficou agendada para o dia 20 de setembro. A partir desta data, a Caixa tem até 30 dias para analisar.

Após isso serão trabalhados os projetos e documentos para as unidades rurais, que tem formato diferenciado. As regiões rurais beneficiadas são: Porteira, Funil, Grupré, Brejo Comprido e Rio Sono. (Ascom Secretaria das Cidades)