Economia

Implementar ações integradas de economia solidária, visando estruturar processos produtivos que possibilitem o desenvolvimento econômico e social de trabalhadores de baixa renda que atuam nos empreendimentos econômicos solidários da cidade. Esse é o objetivo do projeto “Desenvolve Palmas”, que será lançado pela Prefeitura de Palmas, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem), nesta quinta-feira, 12, às 14 horas, na Câmara Municipal.

O evento contará com a presença do prefeito Carlos Amastha, do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Luiz Carlos Borges da Silveira, de autoridades locais e representantes de entidades da sociedade civil.    

Duas mil famílias serão beneficiadas com o projeto e 50 empreendimentos de economia solidária serão constituídos na cidade. A proposta da Sedem com a iniciativa é fortalecer a governança e a sustentabilidade das políticas públicas empreendidas para a geração de trabalho e renda.

O projeto compreenderá todo o perímetro urbano e rural de Palmas, bem como os dois distritos. Para tanto, a cidade foi dividida em oito regiões (Centro-Sul, Centro-Norte, Extremo Norte, Aurenys, Taquaralto, Taquarí, Taquaruçu e zona rural) com o objetivo de facilitar as ações que serão implementadas. Tais como: realização de cursos de capacitação e de formação e qualificação profissional, oficinas, palestras, além da implantação do Centro Público de Economia Solidária, divulgação dos Espaços de Economia Solidária e realização de feiras e do I Festival Regional de Economia Solidária de Palmas.   

Convênio

O “Desenvolve Palmas” será executado através de convênio firmado com o Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes). Os recursos empregados são da ordem de R$ 4 milhões.

Como a execução do projeto se dará pelos próximos dois anos, a Sedem já iniciou uma série de visitas técnicas visando a sua divulgação. Estão previstas 15 reuniões técnicas de apresentação da proposta nos órgãos públicos e entidades privadas, inclusive da sociedade civil organizada que atuam na área de Economia Solidária no município. Além disso, serão realizadas dez plenárias na comunidade para diagnóstico, sensibilização e mobilização de parceiros, objetivando a participação deles no projeto.