Palmas

Foto: Marcelo de Deus

Uma apresentação técnica realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) foi realizada no gabinete do prefeito Carlos Amastha, no Centro Administrativo da Avenida JK, com o intuito de esclarecer à Prefeitura de Palmas e a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto), como se dará o processo de execução do projeto proposto através da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES). O programa que na capital será intitulado de “Plano de Ação Palmas Sustentável” é uma parceria BID/Caixa Econômica Federal. A adesão ao ICES será oficializada logo mais às 14 horas, em solenidade realizada no auditório da Defensoria Pública.

A Fapto foi a instituição selecionada pelo BID por meio da instituição GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental no último dia 04, para atuar em Palmas. “Nos sentimos agraciados quando desenvolvemos projeto dessa envergadura. Isso reforça a identidade da Fapto na solução dos problemas que os munícipes enfrentam”, considerou o diretor Executivo da Fapto, Prof. Paulo Fernando Martins.

Apesar de outras três cidades também terem sido selecionadas pelo BID para desenvolver a prática (João Pessoa-PB, Vitória-ES, Florianópolis-SC), Palmas será a primeira a executar o programa e isto é manifestado com imensa satisfação pelo prefeito Amastha. “Palmas tem o diferencial de ser uma cidade nova e não ter grandes problemas urbanísticos como as demais cidades. Enquanto as outras capitais irão sanar antigos problemas, aqui podemos fazer de Palmas uma cidade modelo com a implantação de projetos sustentáveis como os que a gestão já vem estudando”, declarou Amastha.

“É um orgulho muito grande para nós sermos a primeira cidade a executar o programa e, esperamos que ao final da execução de todos os projetos, sejamos consideradas a melhor”, finalizou o prefeito.

Impup

O presidente o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Impup), Luiz Masaru, esclareceu que este projeto de cidades sustentáveis não se trata apenas de questões ambientais como muitos pensam, e que desde uma calçada com acessibilidade a uma casa edificada com reuso de água, enfim, um melhor aproveitamento dos recursos naturais tornam uma cidade sustentável.

“Fui convidado a presidir o Impup, órgão criado na atual gestão, pela visão do prefeito em sanar problemas como o transporte público de Palmas e outros, bem como promover o crescimento ordenado da Capital. Alguns projetos já em estudo avançado como a implantação do Bus Rapid Transit(BRT) e melhor aproveitamento das rotatórias são exemplos de práticas sustentáveis a ser adotadas”, finalizou Masaru.

Recursos

A superintendente da Caixa, Maria Luzia do Couto Aguiar, explica que será disponibilizado recurso de R$ 1 milhão por meio do Fundo de Sustentabilidade da Caixa para custear os projetos do “Plano de Ação Palmas Sustentável” e a execução dos projetos será custeada pelo BID.

Sobre o Programa

O principal objetivo da Iniciativa de Fomento às Cidades Emergentes e Sustentáveis é lidar com desafios em cidades emergentes da América Latina e do Caribe. A meta do projeto é integrar a sustentabilidade ambiental e fiscal, o desenvolvimento urbano e a governabilidade. Por meio da parceria entre BID e da CEF, a ICES espera promover o apoio a ações que proporcionem serviços básicos e garantam a proteção ao meio ambiente, bem como níveis adequados de qualidade de vida e emprego.

Entre outros critérios, também foi avaliado o contingente populacional, que deve estar entre 200 mil e dois milhões de habitantes, e a capacidade institucional das cidades. Os municípios estão em uma etapa na qual é ainda possível aproveitar suas economias de escala e controlar os custos da aglomeração, melhorando a eficiência dos serviços urbanos. (Secom Palmas)