Palmas

Foto: Antônio Gonçalves

O ex-prefeito de Maringá, Sílvio Barros, apresentou sua experiência durante a palestra "Cidades Sustentáveis e Inteligentes” aberta pelo pronunciamento do prefeito de Palmas, Carlos Amastha no auditório do Senac, na noite desta última quarta-feira, 11. O ex-gestor citou os desafios de transformar uma cidade em modelo de sustentabilidade.

O prefeito de Palmas ressaltou durante seu pronunciamento a importância dos trabalhos ligados a sustentabilidade que foram desenvolvidos no Paraná e expôs os anseios  dos exemplos do sul, virarem realidade em Palmas. “Silvio fez de Maringá uma cidade muita mais impulsiva (economicamente) mais humana e eu quero mais que fazer igual, eu quero fazer ainda melhor”, afirmou Amastha.

A convite do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Tocantins (Sinduscon-TO), Sílvio Barros palestrou para um público formado por empresários, estudantes e gestores públicos dos mais diferentes segmentos. Uma plateia lotada para escutar as boas práticas de gestão que podem ser aplicadas desde que haja vontade da população de colocá-las em prática e interesse do poder público em aplicá-las. Interesse este que já foi sinalizado pelo gestor municipal, uma vez que Palmas aderiu, junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Caixa Econômica Federal, à Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES). Ao lado de Florianópolis (SC), João Pessoa (PB) e Vitória (ES), Palmas foi selecionada para receber investimentos que deverão ser aplicados em projetos que visam soluções sustentáveis para os problemas urbanos.

Parceria que foi lembrada por Barros durante a palestra ao citar exemplos de planejamento. O palestrante acredita que Palmas, com apenas 24 anos, tem todo potencial para conseguir cumprir as exigências do BID e ser a primeira, dentre as quatro selecionadas, a conquistar o título de cidade emergente sustentável.

Acompanhando o prefeito, também assistiram à palestra, os secretários Ricardo Bindo (Acessibilidade, Mobilidade e Transporte), Nicolau Esteves (Saúde), Roberto Sahium (Desenvolvimento Rural), Tiago Andrino (Governo e Relações Insitucionais) e Evercino Moura (Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).