Estado

Foto: Divulgação

Durante a Semana Nacional do Trânsito, que termina nesta quarta-feira, 25, ações promovidas pelo governo do Estado alertaram motoristas, motociclistas e pedestres sobre os perigos e as responsabilidades que cada um deve ter para manter um trânsito seguro. Números ainda apontam para uma realidade difícil, mas ações desenvolvidas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) vão causando um efeito positivo na conscientização de quem percorre as ruas diariamente.

Para reduzir as estatísticas de acidentes de trânsito e o número de vítimas, todas as entidades oficiais e não oficiais ligadas ao setor desenvolvem ações visando a conscientização de condutores, ciclistas e pedestres. Ações como as desenvolvidas durante a Semana do Trânsito ajudam, conforme a coordenadora de Ação e Formação Continuada do Detran, Bárbara Moreira Moraes, a reduzir os índices. Durante a semana, blitzen educativas e distribuição de material gráfico alertaram a população sobre os riscos de se beber e dirigir. “A importância (da campanha) é conscientizar a população que, mesmo com a lei seca, ainda acha que se beber pouco não será pego nos testes de ‘bafômetro’. Por isso nós distribuímos os bafômetros descartáveis”, completou.

Além disso, o departamento e trânsito ainda desenvolve ações continuadas, como o projeto Detran Educando para a Vida, que capacita professores a ensinar crianças nas escolas sobre riscos e responsabilidades com o trânsito. “Essas campanhas têm surtido efeito. Nossas pesquisas apontam que cerca de 80% da população aprova”, pontuou.

Questão de Saúde Pública

De acordo com levantamento do Hospital Geral de Palmas (HGP), de primeiro de janeiro até 23 de setembro de 2013 foram atendidas 1.292 ocorrências de acidentes nas ruas da capital. Segundo os dados do HGP, foram atendidos 355 pacientes de acidentes envolvendo carros, 59 casos de atropelamento e 53 ciclistas. Mas na maioria dos casos, as vítimas são motociclistas, com uma média de 91,66 atendimentos por mês, somando um total de 825 motociclistas ou passageiros.

Uma dessas vítimas é Jorge Alves Rezende, funcionário da recepção do próprio HGP, que sofreu um acidente de moto no Jardim Aureny III em Palmas na última segunda-feira, 16, quando ia ao trabalho pela manhã. De acordo com ele, um carro tentou desviar de um buraco na rua e acabou colidindo. “Eu acabei batendo em uma placa na beira da rua”, explicou. O paciente passou por exames e aguarda o resultado para iniciar o tratamento. “O ortopedista me falou que eu rompi os ligamentos do joelho. Agora é esperar para ver o grau da lesão”, disse.

Fiscalização

Um dos principais fatores para a redução nas estatísticas de acidente, foi o endurecimento da Lei Seca no país. Aprovada em 19 de junho de 2008, a lei sofreu modificações sancionadas em dezembro de 2012, tornando mais rígida a punição para motoristas que dirigem alcoolizados. A lei determina que qualquer quantidade de álcool detectada no teste, que ultrapasse a margem de erro do bafômetro de 0,05 miligramas de álcool por litro de ar é considerada infração gravíssima.

Conforme a Polícia Militar (PM), o condutor flagrado nesta situação perderá sete pontos na carteira e receberá multa no valor de R$ 1.915,44. O motorista também está sujeito à prisão, caso o teste acuse a quantidade de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar ou 0,6 decigrama de álcool por litro de sangue.

De acordo com o último balanço divulgado pela PM, em maio deste ano, Palmas teve uma redução de cerca de 18% no número de acidentes. Segundo com o Departamento de Estatísticas do 1º Batalhão da PM, responsável pela região, entre nos primeiros cinco meses do ano foram registrados 1.122 acidentes. Já no mesmo período do ano passado, o número foi de 1.365. (ATN)