Estado

Foto: Divulgação

Órgãos envolvidos na construção das 350 unidades habitacionais em 64 aldeias de cinco regiões dentro do município de Tocantínia se reuniram na tarde desta sexta-feira, 27, para mais um acerto sobre as etapas a seguir para a concretização dos empreendimentos.

Em debates, questões como licença ambiental, mapa de intervenção, informações do terreno, cronograma físico financeiro, declaração de viabilidade, documentação de beneficiários e readequação do projeto de engenharia e arquitetura. Estes passos são necessários para a viabilidade do terreno, para a análise da proposta na engenharia e Análise Social na Caixa Econômica Federal.

Para a entrega dos itens que ainda precisam ser obtidos, foi determinado um prazo para até o dia 8 de outubro, quando acontecerá uma nova reunião com todos os envolvidos.

Fazem parte do programa que busca habitação para indígenas, a SCidades - Secretaria das Cidades, habitação e Desenvolvimento Urbano, a Prefeitura de Tocantínia, a ACA – Associação Comunitária de Ananás e a Funai – Fundação Nacional do Índio.

O projeto

As unidades habitacionais contemplarão as comunidades indígenas Xerentes e serão divididas em 100 casas na zona urbana e 250 na zona rural beneficiando inicialmente 2.160 pessoas, na zona urbana e em cinco regiões rurais do município: Porteira, Funil, Grupré, Brejo Comprido e Rio Sono.