Campo

Foto: Aldemar Ribeiro

O Tocantins é o sétimo no ranking nacional em volume de produção de abacaxi da variedade pérola. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Estado colheu em 2012, 34.270 toneladas do fruto, gerando movimentação financeira de R$ 34.918.976,00. Ao todo são colhidos anualmente no Tocantins uma média de 54 milhões de abacaxis.

De acordo com a Secretaria Estadual de Agricultura e Pecuária (Seagro), os abacaxis tocantinenses além do mercado interno, tem a freguesia de Estados da região centro-sul do Brasil, como São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Distrito Federal. Os municípios de Miracema, Miranorte e Rio dos Bois são os maiores produtores. Para José Américo Vasconcelos, superintendente de Desenvolvimento Vegetal da Seagro, o abacaxi tocantinense tem uma aceitação privilegiada. “As condições de produção, nosso clima, nosso solo e nossa estação de chuva bem definida favorece muito a produção”, argumentou. 

Marcelo Galate, produtor desde 1998, na região de Palmas, concorda. Com produção de 200 mil abacaxis por mês, ele comercializa o que planta na Central de Abastecimento de Palmas (Ceasa) e também tem mercado garantido em outras cidades. “Temos uma comercialização firmada. Nosso produto tem uma grande acessibilidade”, explica, ressaltando do que a expectativa é aumentar a produção para 230 mil frutos por mês na próxima safra.

PIF

Pioneiro, o programa de Produção Integrada de Frutas (PIF) na cultura do abacaxi, desenvolvido pela Seagro e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), é modelo nacional devido aos bons resultados conquistados desde 2004. Atualmente, cerca de 90 propriedades rurais participam do PIF Abacaxi, distribuídas em 11 municípios, a maioria na região Central.

O cultivo integrado que beneficia o meio ambiente e reduz os custos está aliado ao mapeamento de solo e de pragas na lavoura e por consequência a redução no uso de agrotóxicos, fomenta a produção do fruto.  “A tecnologia que nós utilizamos com relação à produção integrada de frutas, serve de modelo para outros Estados. O produtor tem um apoio muito bom do governo, outros Estados não têm o apoio como o do Tocantins”, pontuou o Superintendente de Desenvolvimento Vegetal da Seagro ao salientar que o fortalecimento da abacaxicultura se deu graças ao incentivo governamental dado no início da década 1990. 

Simpósio Brasileiro

A Produção Integrada do Abacaxi será um dos temas abordados durante o V Simpósio Brasileiro de Cultura do Abacaxi. Com a participação de mais de 460 profissionais, técnicos e acadêmicos vindos de 10 estados, o encontro começa nesta quarta-feira, 23, no auditório do Palácio Araguaia, em Palmas. A programação segue até a quinta-feira, 24.

Realizado pela Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), em parceria com a Superintendência Federal da Agricultura e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o evento busca o compartilhamento de experiências na abacaxicultura e o melhoramento da qualidade e eficiência da produção. A programação conta com palestrantes de seis estados. (ATN)