Estado

Foto: Divulgação

Em reunião realizada na manhã desta quinta-feira, 24, os presidentes de entidades sindicais e de associações dos servidores públicos tocantinenses cobraram mais uma vez, a devida apuração e investigação nas irregularidades apontadas pelo Ministério da Previdência Social, no Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev).

As entidades classistas receberem o relatório de uma segunda auditoria, específica de investimentos feitos pelo Igeprev, datado de 20 de setembro deste ano. O relatório foi encaminhado após reunião entre as entidades classistas e o ministro Garibaldi Alves, em Agosto, em Brasília (DF). 

Na auditoria fica constatado que o instituto fez aplicações de alto risco em instituições que foram liquidadas pelo Banco Central, a exemplos do BVA e do Banco Rural. “O que chama a atenção neste relatório é que o Igeprev aplicou R$ 4 milhões no BVA justamente no dia que o Banco Central fez a liquidação da instituição. Isto mostra o total descontrole do Igeprev em suas aplicações” protestou o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantis (SISEPE-TO), indignação que foi compartilhada pelos outros presidentes de entidades. 

Os presidentes também foram surpreendidos com o adiamento da reunião do Conselho de Administração do Igeprev, marcada para esta quinta-feira, 24. A reunião foi transferida para o dia 31 em virtude de convocação para que o Igreprev vá a São Paulo para tratar da situação financeira do TrendkBank, Banco de Fomento Multissetorial, que enfrenta dificuldades financeiras e que também poderá ser liquidado pelo Banco Central. 

O Igreprev tem cerca de R$ 80 milhões investidos no TrendKBank. A notícia deixou os presidentes das entidades ainda mais preocupados com a possibilidade de novos prejuízos ao Igeprev. 

Alterações na Legislação

Durante o encontro, as entidades sindicais discutiram uma minuta de alteração na proposta do governo que muda a estrutura administrativa e funcional do Igeprev. Esta minuta será aprofundada por uma comissão formada por representantes de todas as entidades e apresentada ao Conselho de Administração do Igeprev e também à Assembleia Legislativa. 

Na minuta, as entidades pedem que a gestão do Igeprev seja feita pelos próprios servidores públicos, eleitos entre servidores de carreira. As entidades também estão mobilizadas para participar da Audiência Pública convocada pela Comissão de Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Transportes e Desenvolvimento Urbano e Serviços Públicos, da Assembleia Legislativa do Tocantins. Na audiência, que acontecerá no próximo dia 05, as entidades vão reforçar a necessidade de uma intervenção no Instituto e de mudanças profundas no sistema de gestão. 

Entidades Participantes

Sisepe-TO, Sinpef-TO, Sindifiscal, Sindjor-TO, Sindifato, Sinstec-TO, Asspmeto, Asamp, Sindisemp-TO, Aopmeto, Asmir, Sintet, Sinpol-TO, Sintras-TO, Sindare, Simed, Audifisco, Sindiperito, Sistec (Ascom Sisepe)