Palmas

Foto: Marcelo de Deus

A implantação do Programa Saúde Integrada (SIN), lançado oficialmente no início de setembro, foi um dos marcos da gestão municipal na área da saúde em 2013. O SIN passou a organizar e operacionalizar todos os projetos estruturantes de promoção, prevenção e vigilância em saúde de forma articulada, integrando as ações desde a atenção básica até a média complexidade, passando pela urgência e emergência, oferta de exames e consultas especializadas. 

Nestes trezentos dias de gestão, a administração municipal promoveu a reestruturação da rede municipal de saúde, com a construção de novos prédios para as Unidades de Saúde da Família, ampliação do número de equipes e adesão ao programa “Mais Médicos”, cujos profissionais já estão atuando nas comunidades da periferia. Outra importante medida foi a reorganização do Serviço Móvel de Urgência (Samu -192), que passou a funcionar com uma frota completa de veículos. Destaque também para a contratação de serviços especializados, entre outras providências que visam à melhoria da qualidade do atendimento ao usuário.

Atenção Básica

A Atenção Básica, porta de entrada do sistema público de saúde, foi reforçada com a conclusão dos prédios de nove Unidades de Saúde da Família, todas conforme padrão do Ministério da Saúde, construídas através de parceria entre o Município e o Governo Federal. São elas: Taquari; Quadras 712 Sul; 406 Sul; 403 Norte; 403 Sul, 1004 Sul; 1103 Sul; 503 Norte e Setor Santa Fé.

Ainda na estrutura física, também foi licitada a construção da USF Morada do Sol e iniciado o processo para reforma e ampliação dos prédios de cinco Unidades de Saúde da Família – 307 Norte, Liberdade, Novo Horizonte, Alto Bonito e Jardim Aureny III. 

Além dos novos prédios, a rede passou a contar com mais seis médicos oriundos do Programa “Mais Médicos para o Brasil”. O quadro de profissionais foi reestruturado e atualmente a rede municipal de Saúde possui 54 equipes da Estratégia de Saúde da Família. O índice de cobertura populacional saltou de 65%, no início do ano, para 81% em outubro, com tendência de alta.

Atenção Especializada

Nos primeiros 300 dias de gestão houve avanços significativos também na Atenção Especializada, com o credenciamento de laboratórios e clínicas que passaram a realizar exames e consultas médicas em diversas especialidades. São parceiros da iniciativa privada contratados pelo Município para prestar atendimento aos usuários do SUS.

Ainda na Atenção Especializada, o antigo prédio do Samu, na Quadra 704 Sul, foi reformado para abrigar a sede definitiva do Centro de Especialidades Odontológicas – CEO, e atualmente oferece mais conforto aos usuários.

Palmas também oferta, desde março, no Centro de Saúde Sexual e Reprodutivo, o Serviço de Contracepção Feminina Ambulatorial, procedimento de esterilização feminina definitiva sem necessidade de intervenção cirúrgica ou internação.

Urgência e Emergência 

No atendimento de Urgência e Emergência foi assinado convênio com o Ministério da Saúde para destinação de duas novas ambulâncias para o Samu-192; uma com entrega prevista para novembro e outra para o princípio de 2014. Foram também realizados serviços de manutenção preventiva e corretiva de toda a frota, que atualmente é composta por dois Veículos de Intervenção Rápida, seis Unidades de Suporte Básico e duas Unidades de Suporte Avançado. A oferta de serviços de raio X, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), foi regularizada.

Redução do Índice da Dengue

O resultado do Levantamento de Índice Rápido por Amostragem para Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os dias 20 e 26 de março de 2013, mostrou que o índice médio de infestação predial (IIP) em Palmas reduziu de 6,57% para 4,51%. O novo IIP mostra que, em média, existem focos de dengue em quatro a cada 100 imóveis da Capital. O índice anterior havia sido identificado na penúltima semana de janeiro.

Consórcio Intermunicipal de Saúde

Outra importante ação liderada pela Secretaria de Saúde de Palmas foi a constituição de um Consórcio de Saúde envolvendo municípios situados na Região Central do Estado. Organizados em consórcio, esses municípios poderão ratear despesas na contratação de serviços de saúde, principalmente do que diz respeito a exames e consultas médicas especializadas. O prefeito Carlos Amastha foi escolhido para presidir a autarquia.