Polí­tica

Foto: Divulgação

“Estamos criando estratégias tecnológicas e assistência técnica para amenizar os efeitos causados durante o período de estiagem prolongada na região Sudeste do Tocantins. Já estamos desenvolvendo ações que vão, sem dúvida, aumentar a produtividade e renda dos nossos produtores rurais, que é quem ajuda a colocar comida na mesa de todo tocantinense”. Esta garantia foi apresentada pela senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação da Pecuária e Agricultura do Brasil e da Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins (CNA/Faet) durante o 1º Seminário “Técnicas e Alternativas para Conviver com a Seca”, realizado em Dianópolis, nesta quinta-feira, 31.

Com a presença de cerca de dois mil produtores rurais de vários municípios da região Sudeste do Tocantins, prefeitos, presidentes de sindicatos rurais e representantes do setor agropecuário de estados do Nordeste, como a Bahia e a Paraíba, Kátia Abreu falou que todo o Sistema CNA / Faet / Senar, em parceria com o Governo Federal e instituições como o Sebrae, vai trabalhar para não permitir que tragédias causadas pela seca, como a morte de mais de um milhão de cabeças de gado na Bahia e a de 30% de todo o rebanho paraibano, aconteçam no Tocantins.

O evento que aconteceu no Centro de Formação dos Agricultores e Agricultoras Familiares de Dianópolis, teve participação do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba e coordenador institucional do programa Sertão Empreendedor, Mário Borba, que fez a apresentação do programa aos produtores rurais da região. Os produtores também tiveram a oportunidade de conhecer o caso de sucesso do programa Viver Bem no Semiárido da Bahia, apresentado pelo 2º vice-presidente de Desenvolvimento Agrário da Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia, Humberto Miranda de Oliveira.

O Programa Sudeste Empreendedor – Travessia Seca, que vai atender no início quatro mil produtores, está sendo promovido em parceria com o Sebrae e a Faet, foi criado para estimular o espírito empreendedor e elevar a qualidade de vida da população do Sudeste do Tocantins, constantemente afetado por secas e estiagens prolongadas. O programa vai promover a competitividade e sustentabilidade dos empreendimentos rurais desta região por meio do fomento à inovação, ao empreendedorismo e a difusão das tecnologias sociais, de produção, gestão e boas práticas de convivência com a seca.

“Com assistência técnica e cursos de formação profissional vamos ajudar o produtor na melhoria da gestão, aumento da produtividade e rentabilidade das propriedades rurais do Sudeste do nosso Tocantins”, explicou a senadora Kátia Abreu. (Ascom Faet / Senar)