Estado

Foto: Divulgação

Dirigentes de entidades sindicais e de associações de classes que representam os servidores públicos estaduais protocolaram, na manhã desta última quinta-feira (31), na sede do Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev), um pedido para que, em 24 horas, o Conselho de Administração do Igeprev instale uma comissão com participação dos servidores para discutir a alteração na lei que rege o instituto.

É entendimento de todas as entidades representantes dos servidores públicos estaduais que a gestão do Igeprev deve ser feita pelos próprios servidores. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO), Cleiton Pinheiro, destaca que é preciso haver mudanças profundas na gestão do instituto. “Há muito tempo as entidades sindicais e associações de classe reivindicam maior participação do segurado e transparência na gestão do instituto. Agora com os diversos escândalos envolvendo as aplicações financeiras do Igeprev a situação ficou insustentável”, argumenta.

Cleiton Pinheiro destaca as entidades defendem eleição, pelos próprios servidores, de todos os integrantes da diretoria do Igeprev, desde o presidente até os integrantes do Conselho Fiscal e outros cargos de direção. Estes cargos devem ser ocupados por servidores de carreira. “As entidades entendem que o Igeprev é o instituto que vai garantir a aposentadoria dos servidores e que deve ser administrada pelos próprios servidores”, afirma Cleiton Pinheiro.

O presidente do Sisepe afirma também que o projeto encaminhado pelo Governo à Assembleia Legislativa não passou por discussão no Conselho de Administração do Igeprev, como determina a lei. “Já conversamos com os deputados e eles assumiram o compromisso de não votar o projeto enquanto ele não for discutido e aprovado no Conselho de Administração do Igeprev. É por isso que protocolamos um pedido ao presidente do Conselho de Administração para que seja instituída uma comissão com a participação dos servidores para discutir e propor alterações na gestão do instituto”, argumenta. 

Auditoria do MPS

Ainda na manhã desta quinta-feira os dirigentes sindicais estiveram na Polícia Federal e no Ministério Público Estadual, onde protocolaram o relatório da segunda auditoria realizada pelo Ministério da Previdência Social (MPS) sobre as aplicações financeiras do Igeprev.

Cópias do mesmo relatório também serão protocoladas no Tribunal de Contas do Estado (TCE) e no Ministério Público Federal (MPF), com pedido de providências dentro da competência de cada órgão. (Ascom Sisepe)

Por: Redação

Tags: Cleiton Pinheiro, Igeprev, Sisepe