Saúde

Foto: Divulgação

Um total de 1.579 procedimentos cirúrgicos relativos à plástica foram realizados de janeiro deste ano até o último dia 30 de outubro no Hospital Geral de Palmas. No ano passado, também até o mês de outubro, foram contabilizadas 1.130 cirurgias plásticas, o que significa a realização de 449 cirurgias a mais. “Aqui nós temos uma demanda muito grande, mas também temos uma ótima equipe que está pronta para realizar os procedimentos e ao saber que o número cresceu ficamos muito felizes, pois trabalhamos para isso”, comemora Giovanni Augustus Morais, cirurgião responsável pela oncoplastia.

Levando em consideração os custos com equipe, medicamentos e material utilizado, na rede privada, uma cirurgia reparadora de redução da mama ou uma cirurgia para retirada de pele após a redução de estômago podem custar entre 10 e 15 mil reais. “É fato que o estado investe muito para realizar esses procedimentos, que também são ofertados na rede privada, mas com custo que nem todos podem pagar”, lembrou Giovanni Morais.

Já o também cirurgião plástico, Pedro Eduardo Nader Ferreira, explica que o crescimento no número de procedimentos se deve a três fatores: aumento da demanda - já que a única unidade que está realizando esses tipos de procedimentos é o HGP, com exceção de Paraíso, que realiza apenas alguns tipos de cirurgias-, aumento do volume de procedimentos em moradores da capital e mais médicos compondo a equipe. Atualmente, a equipe do hospital conta com seis cirurgiões plásticos.

“Como só aqui estão sendo feitos esses procedimentos, o número ainda deve crescer mais”, destacou Ferreira, acrescentando que na unidade são realizados procedimentos em decorrência de traumas, que vão desde acidentes domésticos e de trânsito até atendimento a vítimas de queimaduras; cirurgias de retirada de pele, em razão de cirurgias bariátricas, e paciente com sequelas do câncer.

Encaminhamentos

De acordo com o cirurgião Giovanni Morais, o paciente que chega até a equipe do HGP vem, geralmente, encaminhado pelo setor de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que envia pacientes com necessidades de mamoplastias redutoras por seios hipertróficos grau 4 ou gigantomastia (mulheres com seios considerados muito grandes), além de cirurgias necessárias depois de realização gastroplastia (redução do estômago) em decorrência de obesidade mórbida e cirurgias reparadoras.

Além destes, grande parte dos pacientes são oriundos do setor de oncologia do HGP. “São pacientes que tiveram câncer de mama e precisam realizar a reconstrução tardia, aquele procedimento que não é feito na hora da retirada do seio, só depois. Também realizamos procedimentos em pacientes com câncer de pele que necessitam fazer a retirada e a reconstrução), explica.

Confira a diferença no número de cirurgias

No ano de 2012: Janeiro (100), Fevereiro (70), Março (84), Abril (73), Maio (126), Junho (127), Julho (134), Agosto (137), Setembro (127), Outubro (152). Total: 1.130

Em 2013: Janeiro (189), Fevereiro (135), Março (150), Abril (136), Maio (152), Junho (145), Julho (188), Agosto (178), Setembro (129), Outubro (177). Total: 1.579