Esporte

Foto: Divulgação

Pela primeira vez alunos-atletas do Tocantins participam das Paralimpíadas Escolares. A competição nacional acontece em São Paulo, nos dias 25 de novembro a 1º de dezembro. O estado participa com nove competidores, dos municípios de Araguaína, Guaraí, Gurupi e Palmas, disputando as seguintes modalidades: atletismo, natação e tênis de mesa.

Gabriel Camilo estuda no Colégio Estadual Orquelina Torres, no município de Guaraí, o aluno-atleta viaja toda semana 184 km para treinar tênis de mesa na capital. "Eu venho treinar aqui porque quero ir bem nas Paralimpíadas Escolares Nacionais, quero trazer uma medalha", disse Gabriel.

A força de vontade do o aluno-atleta foi o que motivou o professor de educação física Raphael Dias a se voluntariar para treiná-lo. Raphael ainda auxilia nos treinos dos alunos Romário Tavares e Gabriel Rodrigues (Centro de Atenção Integral a Criança-Caic), participantes também da competição na modalidade tênis de mesa.

Garra, determinação e superação de limites, características que descrevem o aluno-atleta Daniel, do Colégio Estadual Criança Esperança e da Apae de Palmas. A modalidade que irá disputar é o atletismo e as provas serão os 100 m rasos, arremesso de peso e o arremesso de dardo. "Eu quero ser campeão", é o que diz Daniel, empolgado, a respeito das Paralimpiadas Escolares Nacionais.

O aluno conta com o apoio do professor de educação física Wagner Teixeira e do maratonista Elinaldo da Silva. "Foi grande a evolução do Daniel desde o início dos treinos, ele é muito esforçado e está tentando superar as suas limitações sempre" contou Wagner. O professor destacou ainda que de acordo as médias da competição de 2012, e com os números atuais de Daniel nos treinos, este tem a chance de se classificar entre os 10 melhores em sua categoria no atletismo.

A técnica de educação inclusiva da Secretaria de Estado da Educação e Cultura, Soraia Tomaz, falou sobra à importância do esporte na vida destes alunos “É visível à mudança no comportamento dessas crianças depois de incluídos no esporte, eles estão mais sociáveis. E ao conversar com eles, você percebe a felicidade em participar das Paralimpiadas Escolares, eles sabem da importância da competição e ficam mais motivados a superar os limites a eles imposto”, destacou a técnica.

Todos os alunos-atletas receberam materiais esportivos adequados para a competirem igualmente com os outros estados. E pensando na comodidade e na preparação antes da competição, alunos e professores viajam para São Paulo de avião, o que evita um maior desgaste físico e aumenta as possibilidades de bons resultados. (Ascom Seduc)