Campo

Foto: Divulgação

A chegada de grandes empresas do ramo de soja no Tocantins deve fomentar o crescimento da produção nos próximos anos. Visando abastecer os novos armazéns e indústrias esmagadoras de soja que têm se instalado no Estado, produtores de todo o Tocantins devem ampliar sua área de plantio, e aqueles que ainda não produzem começam a se interessar pela cultura. Só este ano a Granol, cuja sede comercial tocantinense é instalada na cidade de Porto Nacional, adquiriu 150 mil toneladas de soja de produtores tocantinenses.

Para o secretário executivo da Agricultura e Pecuária, Ruiter Padua, a vinda da Granol para o Tocantins é fundamental para o desenvolvimento não apenas da agricultura, mas de todos os setores. “Estes empreendimentos geram emprego e renda, o que movimenta toda a economia do Estado, além de proporcionar a vinculação dos pequenos agricultores à indústria”, ressaltou, acrescentando que, para atender à demanda destas indústrias, os produtores devem incrementar a produção, já que o mercado está fortalecido e a venda é praticamente garantida.

Segundo o gerente comercial da Granol no Tocantins, Milton Cavichioli Júnior, a produção no Tocantins vem crescendo a cada ano. “A previsão é que em 2014 a Granol compre mais 150 mil toneladas de soja, enquanto em 2015 o número deve chegar a 350 mil toneladas”, afirma, acrescentando que o Tocantins tem vários diferenciais em relação aos outros estados, como o período chuvoso bem definido e a logística. “Quando a ferrovia Norte-Sul estiver plenamente em funcionamento, o escoamento da produção será ainda melhor do que é hoje, e isto deve atrair mais empresas e motivar ainda mais os produtores”, disse.

Produção

A empresa já conta com dois armazéns em operação no Tocantins, sendo um em Porto Nacional e um em Figueirópolis, cada um com capacidade para armazenar até 43 mil toneladas de soja. Outros dois armazéns, sendo um no município de Marianópolis e outro em São Valério, também com capacidade de até 43 mil toneladas, deve começar a funcionar até o ano de 2015. Segundo o secretário executivo da Agricultura e Abastecimento de Marianópolis, Maquisley Ribeiro Máximo, os produtores do município estão ansiosos quanto à finalização do armazém. “O anúncio da construção do armazém fez com que muitos produtores despertassem a atenção para a soja e começassem a produzir”, afirmou.

Além dos dois armazéns, até 2015 a Granol contará com uma indústria esmagadora de soja, cuja construção já foi iniciada, com capacidade para processar 120 mil toneladas de grãos por ano. A empresa produziu ainda 42 milhões de litros de biodiesel desde o início do ano, com produção de 250 mil litros por dia. (Ascom Seagro)