Educação

Foto: Divulgação

Em uma escala de 1 a 5, a Universidade Federal do Tocantins (UFT) manteve, em 2012, seu Índice Geral de Cursos (IGC) no nível 3. Além disso, das seis graduações da instituição avaliadas no ano passado, e que tiveram o Conceito Preliminar de Curso (CPC) divulgado nesta última sexta-feira (06) junto com o IGC no Diário Oficial da União (DOU), três apresentaram notas mais altas que as obtidas em 2009, uma manteve o índice e uma foi avaliada pela primeira vez (veja a lista no final desta matéria). Os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), e estão disponíveis aqui.

Dos cursos da UFT avaliados em 2012, os cursos de Direito, Ciências Econômicas e Jornalismo apresentaram melhora no desempenho em relação a 2009 e conquistaram o conceito geral 4, o mesmo obtido pelo Curso de Tecnologia em Logística, avaliado pela primeira vez. O curso de Administração manteve o conceito 3 e Ciências Contábeis obteve conceito 2. Em relação ao Enade, que avalia os concluintes das graduações e ajuda a compor o CPC, os cursos de Direito e Logística obtiveram o conceito 5, e os demais 3 no ano de 2012. Confira os resultados do Enade aqui.

A avaliação das instituições (IGC) leva em conta a qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação avaliados no triênio (2010-2012), com base no CPC (Conceito Preliminar de Curso), no caso da graduação, e na Nota Capes, no caso da pós-graduação. O resultado desses valores é apresentado na forma de faixas de conceitos que vão de 1 a 5, sendo 1 e 2 considerados insatisfatórios e 3, 4 e 5 considerados satisfatórios.

Já no cálculo do CPC, o desempenho dos alunos no Enade é o que tem maior peso: representa 55% do total do índice, que considera também a avaliação da infraestrutura (15%) e do corpo docente (30%).

Para compor o IGC-2012 da UFT, 29 cursos foram avaliados desde 2009 (incluindo os seis divulgados nesta sexta-feira) e a maioria desse total (26) obteve melhora ou manteve os índices anteriores.

No último triênio, a UFT também apresentou melhora no conceito médio de Graduação (que passou de 2,39 em 2009 para 2,86 em 2012), mas foi o conceito médio do Mestrado em 2012 (3,25), o que mais puxou o IGC para cima. O número de cursos avaliados na instituição também aumentou, de 28 no Enade 2009 para 35 em 2012. Nem todos esses cursos, porém, possuem ainda um CPC, pois para isso é necessário ter participado do Enade com alunos ingressantes e concluintes.

"Esses conceitos positivos reforçam a tendência de elevação da qualidade dos cursos da UFT pela contínua capacitação dos professores em nível de mestrado, doutorado e pós-doutoramento; pelo aprimoramento da infraestrutura, especialmente de laboratórios, e estabelecimento de parcerias que intensificam a produção de conhecimento por meio da pesquisa e da pós-graduação", comentou a vice-reitora da UFT, Isabel Auler, ao analisar os dados.

Segundo a professora Marli Vieira, coordenadora do Curso de Ciências Contábeis, a queda do desempenho reflete vários fatores, mas tende a ser revertida. Uma das maiores dificuldades para isso, segundo ela, é a escassez de doutores na área disponíveis para atuar na região. "Estamos trabalhando para aumentar a qualidade do Curso de Contábeis e algumas dessas melhorias já são visíveis, como o Laboratório e o Escritório Modelo. Em nível de Brasil, a região Norte fica prejudicada porque no país existem apenas cinco doutorados na área de Contábeis, todos nas regiões Sul e Sudeste. Mas esperamos receber professores doutores no ano que vem, e que essa medida seja apontada no próximo levantamento do Inep", comentou.


CPC-2012 dos Cursos da UFT divulgados nesta sexta-feira (6):

Administração (Palmas) - 3*
Direito (Palmas) - 4**
Ciências Econômicas (Palmas) - 4**
Ciências Contábeis (Palmas) - 2***
Tecnologia em Logística (Araguaína) - 4****
Jornalismo (Palmas) - 4**

* Manteve índice de 2009
** Cursos que obtiveram melhora em relação ao índice de 2009
*** Curso que obteve queda em relação a 2009
**** Curso não avaliado anteriormente


Sobre a avaliação

O Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) é um indicador de qualidade de instituições de educação superior, que considera, em sua composição, a qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado e doutorado). No que se refere à graduação, é utilizado o CPC (conceito preliminar de curso) e, no que se refere à pós-graduação, é utilizada a Nota Capes. O resultado final está em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5).

O CPC é uma média de diferentes medidas da qualidade de um curso. As medidas utilizadas são: o Conceito Enade (que mede o desempenho dos concluintes), o desempenho dos ingressantes no Enade, o Conceito IDD e as variáveis de insumo. O dado variáveis de insumo – que considera corpo docente, infra estrutura e programa pedagógico – é formado com informações do Censo da Educação Superior e de respostas ao questionário socioeconômico do Enade.

A forma do cálculo do CPC tem implicações sobre a representatividade do IGC. Para um curso ter CPC é necessário que ele tenha participado do Enade com alunos ingressantes e alunos concluintes. Portanto, o IGC é representativo dos cursos que participaram das avaliações do Enade, com alunos ingressantes e concluintes. Como cada área do conhecimento é avaliada de três em três no Enade, o IGC leva em conta sempre um triênio. (Fonte: Inep)