Estado

Foto: Cleuber de Sousa

Facilidade de conservação, praticidade para levar na carteira e apresentar nas consultas médicas, além da utilização em viagens são algumas das vantagens de pais ou responsáveis que optaram por tirar o documento de identificação de bebês e crianças.

Neste ano, de janeiro até o início deste mês, um total de 10.298 crianças menores de dez anos, tiraram o Registro Geral no Instituto de Identificação do Tocantins. Ao todo, em 2013, foram emitidos 81.706 RGs entre crianças e adultos, enquanto em 2012 os registros contabilizaram 66.107, o que representa um aumento de mais de 15 mil identificações.

Presente no Instituto para atualizar a identidade da esposa de acordo com a certidão de casamento, o empresário Roberto Frank ficou surpreso ao saber que a filhinha Maria Olívia, de apenas cinco meses, também poderia tirar o documento. “Não sabia que podia, mas agora já vou fazer, principalmente pela praticidade, já que ficar andando com a certidão de nascimento é incomodo por causa do tamanho, além de ter perigo de perder”, afirma.

De acordo com Valtenir de Freitas, papiloscopista responsável pelo Núcleo de Produção do Instituto de Identificação, a procura por registro de bebês e crianças tem aumentado. “A busca é principalmente em decorrência da praticidade do documento, que é pequeno e substitui a certidão de nascimento”, conta.

Segundo Freitas, existem mais de 23 regionais espalhadas pelo Tocantins, onde os interessados podem se dirigir para solicitar o documento. As unidades ficam nos municípios de Alvorada, Araguatins, Araguaína, Arraias, Augustinópolis, Colinas, Dianópolis, Figueiropólis, Goiatins, Guaraí, Gurupi, Itaguatins, Lajeado, Miracema do Tocantins, Natividade, Palmeirópolis, Paranã, Paraíso, Pedro Afonso, Porto Nacional, Taguatinga, Tocantinópolis e Xambioá. “Os interessados que não moram em Palmas devem ir até esses núcleos com a documentação necessária e fazer o pedido. Essa solicitação é enviada para Palmas via correio, aqui a gente emite o documento e reenvia para o município. Isso leva em média 30 dias, já que a demanda é grande”, destaca.

Conforme levantamento do Instituto, um total de 51.190 pedidos de registros, entre crianças e adultos, vem de cidades do interior, sendo que Araguaína é a que apresenta a maior demanda (40%) e Itaguatins a menor (0,14%, o que representa apenas 72 processos).

Quem pode tirar RG

Apenas brasileiros natos, filhos de brasileiros nascidos no estrangeiro, portugueses com certificado de direitos de igualdade e brasileiros naturalizados podem tirar o RG. Para tanto, é necessário, além de duas fotos 3x4 e comprovante de endereço, certidão de nascimento ou casamento (caso de brasileiro nato), certidão transcrita de cartório do 1º oficio do Brasil (caso de filhos de brasileiros nascidos no estrangeiro), certificado de igualdade de direitos (caso de portugueses com certificado de direitos de igualdade) e certificado de naturalização (no caso de brasileiros naturalizados).

A 1ª via do Registro é gratuita e os documentos apresentados precisam ser originais acrescidos de cópias. A partir da segunda emissão é cobrada a taxa de R$ 10,00. (ATN)