Estado

Foto: Divulgação

Ouvidas na manhã de sexta-feira, 13, pelos membros e integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que averígua a qualidade dos serviços de telefonia prestados no Tocantins, as quatro operadoras que atuam no Estado fizeram o compromisso de ampliar os trabalhos para melhorar estes serviços.

Durante a Audiência, foi apresentado aos representantes das operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo, um relatório repleto de reclamações obtidas durante viagens feitas em 14 municípios tocantinenses.

Conforme dados apresentados das 14 cidades, em 11 delas a maior reclamação foi à da indisponibilidade contínua dos serviços. Nas outras três, sendo respectivamente Paraíso, Pedro Afonso e Caseara, as principais queixas foram com relação ao Sistema de Atendimento ao Cliente (SAC), a expiração dos créditos sem utilização e a interrupção da ligação.

A operadora OI foi a mais citada pelos usuários em todas as localidades. Queixas ao tempo limite para uso do crédito, não funcionamento do SAC e Interrupção da ligação fizeram parte do descontentamento. Na sequência, pelos mesmos motivos, aparecem a Claro, Vivo e Tim.

Na explanação foi discutido também a insatisfação dos moradores de Tocantinópolis que reclamam por pagar uma tarifa de interurbano ao fazer uma ligação local, uma vez que a cidade faz divisa com Porto Franco no Maranhão.

Após tomar conhecimento dos problemas, os representantes das operadoras apresentaram os investimentos em estrutura realizados no Tocantins e explicaram alguns problemas com relação à queda de sinal, que segundo eles, ocorrem por diversos fatores como por exemplo, os meteorológicos.

O Assessor Executivo da Diretoria de Relações Institucionais da Empresa Oi, João Antônio Tavares, explicou que o grande número de reclamações das operações se deve a grande oferta de serviços prestados. “Nesta amostragem que foram feitas nestes 14 municípios, a OI está presente  não só como telefonia móvel, mas também, como  Telefonia fixa e Banda Larga. A operadora atende também a orelhões, só de orelhões são mais de 3.700; Dos  130 mil clientes que temos da telefonia fixa, 106 mil concentram nestes 14 municípios. Como a amostragem foi  feita não apenas da telefonia móvel, logicamente o volume, cobertura e  a presença da Oi nestas cidades foram mais elevadas”, justificou.

Tavares reforçou que a empresa vai buscar soluções para os problemas apontados. “Sabemos que temos muitas coisas para melhorar, Nós vamos nos aprofundar neste trabalho que foi feito pela CPI, que isso ira nos dá muito suporte e entender aos problemas que existem naquela localidade e atuar para resolver esses problemas”, acrescentou.

Para a Presidente da CPI da Telefonia, a deputada estadual Josi Nunes(PMDB), a audiência com as operadora foi muito positiva. “Na minha avaliação foi muito positiva. Eles [Representantes das Operadoras] perceberam os problemas, mostraram que há investimentos, mas o consumidor está insatisfeito. E eles demonstraram uma disponibilidade muito grande de receber esses dados e trabalhar em cima destes problemas”, avaliou.

Participaram da Audiência o Presidente da Casa de leis, Sandoval Cardoso (SDD) juntamente com os deputados Carlão da Saneatins (PSDB), Eli Borges (PROS) e Marcelo Lelis (PV), que é também um dos membros da comissão. Também estiveram presentes, o Diretor do Procon do Tocantins, Ducélio Stival e Coordenador do Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública, Edivan Carvalho Miranda.