Polí­tica

Com a conclusão da CPI da Telefonia a investigação sobre o Igeprev pode ser aberta na Casa de leis ainda este ano. O deputado Sargento Aragão (Pros) pediu que a Assembleia dê seguimento ao pedido de abertura da CPI através da indicação dos membros. O assunto voltou à tona na sessão de hoje principalmente após pedido do deputado Marcelo Lelis (PV) para que o governador Siqueira Campos dê esclarecimento sobre a nomeação do novo presidente do órgão, Francisco Flávio Sales Barbosa.

O petista José Roberto criticou a nomeação do novo presidente e frisou que da maneira que o governo fez, sem consultar os servidores, mostra que os questionamentos continuam com relação ao órgão.

 O deputado Stalin Bucar acusou a oposição de tentar tirar proveito político da situação do Igeprev. “Tem que ser investigado com seriedade e sem que haja disputa política com relação á situação do Igeprev”, disse.

 Ele lembrou a audiência no Senado Federal na semana passada e criticou a proposição na Comissão de Desenvolvimento Econômico. “Sei que o pivô e o centro de tudo isso é porque o ex-senador e secretario foi presidente do Conselho caso ele não tivesse sido presidente e  não fosse homem forte do governo do Estado e candidato competitivo não estavam aqui nem lá em Brasília com esse interesse me resolver ou punir os responsáveis pela má gestão do Igeprev do Tocantins”, disse.

 O governista frisou que está tranquilo com relação às investigações do Igeprev porque há outros órgãos envolvidos como o Ministério Público Federal. O parlamentar atacou ainda a senadora Katia Abreu que chegou a dizer que um caderno com anotações do doleiro Fayed revelaria possível envolvimento do secretário Eduardo Siqueira Campos. “ Porque ela não vem a público e não diz logo? Porque não tem nada...esse é o jeito da senadora de agir”, criticou.

Bucar comparou ainda o novo presidente do Igeprev que já teve bens bloqueados com o ex-governador Marcelo Miranda do PMDB. " Se estão condenando a nomeação no Igeprev então Marcelo Miranda não pode ser candidato porque praticamente todos os seus bens são bloqueados"comparou. Stalin, após as discussões sobre o assunto, pediu que sua assinatura fosse retirada do pedido de abertura da CPI do Igeprev

O deputado José Bonifácio (PR) comentou o assunto e disse que não vê intenção política com relação aos questionamentos feitos sobre o Igeprev. O parlamentar porém não assinou o pedido de abertura da CPI.

Eli Borges (Pros) frisou a necessidade da CPI. "Este poder precisa de maneira veemente cumprir o seu dever de fiscalizar a gestão do Igeprev", disse.

Eduardo do Dertins (PPS) questionou quais os resultados efetivos das CPI’s. Ele cobrou que a CPI da Saneatins seja instalada primeiro. Marcelo Lelis comentou em seguida que há a intenção por parte de alguns deputados do governo de fazer uma "cortina de fumaça" sobre o assunto.