Saúde


Para aplicar iniciativas inovadoras, com foco no diagnóstico precoce e no tratamento oportuno da hanseníase, o Tocantins receberá recursos financeiros do Ministério da Saúde por meio da portaria 3.097 de 16 de dezembro, onde autoriza o repasse aos municípios com alta carga da doença para implementar ações  no combate  a doença. Foram contemplados dois municípios tocantinenses, Palmas com o valor de R$ 500 mil e Araguaína com R$ 300 mil.

A portaria, publicada no Diário Oficial, autoriza o repasse do Fundo Nacional de Saúde aos fundos municipais para financiar ações de vigilância, prevenção e controle da doença. São 40 municípios prioritários para o combate à hanseníase e esquistossomose, Situados em 14 estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, detêm cerca de 24% dos casos novos de hanseníase diagnosticados no País ou concentram focos urbanos para a eliminação da esquistossomose.

De acordo com o núcleo da hanseníase, os  municípios encaminharam à Coordenação Geral de Hanseníase projeto priorizando áreas hiperendêmicas  e ações a serem desenvolvidas nestas localidades visando a descoberta de casos novos e avaliação de contatos destes e outros.

O recurso é destinado para financiar iniciativas que promovam exames em horários alternativos, como plantões e agendamento de consultas. Além de campanhas de mobilização nos finais de semana, dentre outras. O intuito é alcançar, também, a população que não tem disponibilidade de tempo para procurar um posto de saúde ou receber a visita da equipe de saúde da família em horário comercial.

A hanseníase é um desafio de saúde pública no Tocantins, segundo parâmetros do Ministério da Saúde regiões onde há 40 ou mais casos novos/100.000 hab. é considerado hiperendêmico.

Casos

Em 2012 foram notificados 1057 casos de hanseníase,  enquanto neste ano até agora apresentou 833 casos da doença. Além de Palmas e Araguaína, outros municípios com a população maior apresentam maiores notificações de casos como Gurupi, Colinas do Tocantins, Paraíso do Tocantins.

O Tocantins encerrou o ano de 2012 com 72 casos novos por 100.000 hab. ficando em 2º lugar no país, perdendo para somente para o Mato Grosso. Com objetivo de diminuir os casos de hanseníase, o Estado realiza diversas ações como o projeto do grupo de profissionais da Secretaria de Estado da Saúde – Sesau  que vão até os municípios para prestar assessoria e supervisão.