Polí­tica

Foto: Divulgação

Os trabalhos legislativos na Assembleia Legislativa começam nesta terça-feira, 4, e o debate promete ser acalorado entre governistas e oposição em razão do ano eleitoral. O presidente da Casa de Leis, Sandoval Cardoso (SDD) prega que os trabalhos na Casa de Leis ocorram sem interferência política. Três Medidas Provisórias e dois projetos de lei do governo já estão protocolados na Casa de Leis.

O ano começa com a necessidade de reajustar os blocos e comissões da Casa de Leis já que  com a mudança de partido por parte de alguns parlamentares em setembro do ano passado é preciso redefinir as representações. Além dessa pendência há duas propostas de Comissão Parlamentar de Inquérito em tramitação na Casa de Leis: A CPI da Saneatins e a CPI do Igeprev. A CPI da Saneatins será instaurada primeiro e assim que a investigação sobre a Celtins for encerrada a do Igeprev deve ser aberta.

A criação da Região Metropolitana de Palmas, aprovada ás pressas no apagar das luzes dos trabalhos da Casa de Leis ano passado, também deve gerar polêmica já que vários parlamentares questionam a tramitação da matéria.

Para o líder do governo, Carlão da Saneatins (PSDB) a expectativa é que tudo ocorra dentro da tranquilidade. Em entrevista ao Conexão Tocantins ele disse que o primeiro passo é realinhar as comissões e os blocos. O governo tem  atualmente maioria do apoio dos 24  deputados estaduais com destaque para o Solidariedade que tem a maior bancada formada por Solange Duailibe, Sandoval Cardoso, Stalin Bucar, Amelio Cayres, Wanderlei Barbosa, Iderval Silva e Vilmar do Detran.

Enquanto para o líder o ano deve correr na normalidade outro governista, deputado Iderval Silva avalia que a oposição deve endurecer o discurso em razão do ano eleitoral. “Acho que esse ano o foco são as eleições mas não devemos deixar de votar as matérias importantes para o Estado”, opinou. Na opinião de Iderval a oposição aumentou na Assembleia mas ainda assim o governo tem maioria.

O petista e um dos ícones da oposição, José Roberto Forzani comentou que o ano deve ser mais acalorado e que o grupo deve aprofundar a atuação contra o governo. “ Temos um governo que não consegue realizar nada. Uma administração catastrófica. É difícil ser tocantinense e ter que aturar um governo desses”, disse. Além de José Roberto outros oposicionistas como Sargento Aragão (Pros) e Manoel Queiroz (PPS) também devem intensificar as críticas e cobranças ao governo principalmente sobre as últimas Medidas provisórias publicadas pela atual gestão durante o recesso da Casa de Leis.

Mudanças

O deputado Raimundo Palito (PEN) deixou a Casa de Leis para assumir a Secretaria de Assistência Social e em seu lugar vai assumir o dpeutado Jorge Frederico também do Solidariedade. Já Raimundo Moreira (PSDB) que está licenciado deve retornar dia seis ou estender a licença para tratamento de saúde.