Saúde

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), por meio da Gerência de Núcleo da Hanseníase promove na próxima terça e quarta- feira, 11 e 12, o VI Seminário Estadual de Hanseníase. O evento acontece no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), das 8h às 18h. O objetivo é atualizar e sensibilizar os profissionais de saúde quanto a esta doença, visando o aprimoramento das ações em hanseníase, na perspectiva de um atendimento integral ao paciente durante o diagnóstico, tratamento e pós-alta.

A hanseníase é um desafio de saúde pública no Tocantins, segundo parâmetros do Ministério da Saúde regiões onde há 40 ou mais casos novos/100.000 hab. são consideradas hiperendêmicas. Em 2013 foram notificados 833 novos casos da doença aqui no Tocantins.  Além de Palmas e Araguaína, outros municípios com a população maior apresentam maiores notificações de casos como Gurupi, Colinas, Paraíso.

Para aplicar iniciativas inovadoras, com foco no diagnóstico precoce e no tratamento da doença, o Tocantins receberá recursos financeiros do Ministério da Saúde por meio da portaria 3.097 de 16 de dezembro, onde é autorizado o repasse aos municípios com grande número de registro da doença para implementar ações no combate à hanseníase.

Foram contemplados dois municípios do Estado, Palmas com o valor de R$ 500 mil e Araguaína com R$ 300 mil. Com objetivo de diminuir os casos de hanseníase, o Estado também realiza diversas ações como o grupo de profissionais da Sesau que se deslocam até os municípios para prestar assessoria e supervisão.

A Gerência de Núcleo da Hanseníase também realiza, no período de 13 a 14 deste mês, a Oficina de Reabilitação Cirúrgica voltada para médicos, Fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais dos municípios do Tocantins.

Programação

11/02 - 10h – Palestra Margarida Cristiana Napoleão Rocha, representante do Ministério Saúde com experiência na área de Saúde Coletiva atua no tema da hanseníase e doenças em eliminação. Apresentação: Epidemiologia da Hanseníase - Panorama no Mundo e no Brasil; Indicadores Epidemiológicos e Operacionais do Programa de Controle da Hanseníase.

11/02 – 11h Palestra Lorena Dias Monteiro, enfermeira, especialista em Saúde Pública pela Faculdade Internacional de Curitiba. Mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará/UFC. Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Ceará/UFC. Apresentação: Dados epidemiológicos da hanseníase no estado do Tocantins.

11/02 – 13h30 – Palestra com Egon Daxbacher, médico, especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Hansenologo pela Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH). Apresentação: Diagnóstico, Diagnóstico Diferencial e Tratamento.

11/02 – 15h – Palestra Marco Andrey Cipriani Frade, médico, presidente da Sociedade Brasileira de Hansenologia 2012-2014. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Dermatologia, atuando nas linhas de pesquisa cicatrização e hanseníase/dermatologia sanitária. Apresentação: Reações, Recidiva e Reinfecção.

12/02 – 8h – Palestra José Garbino, médico, especialista em Neurofisiologia Clínica, Medicina de Reabilitação e Hansenologia. É Coordenador do Programa de Ensino em Neurofisiologia Clínica do Instituto Lauro de Souza Lima (ILSL) e Professor na Residência Médica e demais Programas do Instituto. Apresentação: Hanseníase Neural.

12/02 – 10h – Palestra Elifaz Cabral, médico Ortopedista, do Hospital Dr. Marcelo Candia, atuando principalmente no seguinte tema: reabilitação cirúrgica aplicada à hanseníase; Monitor de cirurgia de reabilitação e prevenção aplicada a hanseníase do Ministério da Saúde. Apresentação: Reabilitação Cirúrgica.

12/02 – 13h30 – Palestra Silvio Cesar Leite Parente, Fisioterapeuta com especialização em Fisioterapia Clínica e assessor/colaborador do Ministério da Saúde na área de prevenção de incapacidades. Apresentação: Reabilitação Física.

12/02 – 15h - Relatos de Experiências (Ascom Sesau)