Polí­tica

Foto: Divulgação

Os servidores lotaram a Câmara Municipal de Palmas na manhã desta quarta-feira, 12, acompanhados de um bolo e gritos: “Chega de enrolação, queremos equiparação!”. Uma das faixas do movimento, a categoria ressaltou a seguinte cobrança: “Prefeito Amastha, divida o bolo em partes iguais!”.

O bolo, usado como símbolo da luta da classe, foi repartido para os servidores ao final da reunião às portas fechadas do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (SISEMP), juntamente com uma comissão de servidores, o Presidente do Poder Legislativo da capital, Major Negreiros, e alguns vereadores que demonstraram sensíveis com as disparidades nos vencimentos dos servidores.

O presidente do Sisemp, Carlos Augusto de Oliveira, explicou que os próprios servidores trabalhando em um estado de exaustão, diante da realidade discriminatória, tiveram a iniciativa e força para levantarem o movimento. “Queremos pôr fim às diferenças salariais, pois é uma reivindicação urgente de uma proposta de reestruturação remuneratória. Ao assumirem a gestão, mencionamos a prioridade de não tratarem as categorias de modo diferenciado, no entanto, não fomos ouvidos. Tal desigualdade causa um ambiente instável e desnecessário”, declarou Oliveira.

Diante do exposto do movimento, Negreiros agendou uma reunião nesta segunda-feira, 17, às 9 horas, na Secretaria de Planejamento e Gestão, com a entidade sindical e autoridades da pasta de Planejamento e Saúde.  

As diferenças de vencimentos são consideráveis: o nível fundamental o valor é de R$ 48,38 e para o nível médio este valor chega a R$ 144,76. Em relação aos motoristas, a diferença é de R$ 157,14 e para o nível superior é de R$ 845,87.