Estado

Foto: Divulgação

Servidores efetivos do município de Combinado, a 350 km de Palmas, acusam a prefeitura do município de não efetuar pagamentos referentes a 2008, 2012 e 2013. Os trabalhadores relatam que a dívida se arrasta desde a gestão do ex-prefeito, Carlos Pinto da Silva, atual marido da prefeita da cidade, Maria do Socorro Ferreira de Moraes (PSD), e que segundo informações nunca acertaram os pagamentos.

Dimar Crisostemo Barbosa, diretor da base regional sudeste do Sindicato dos Servidores Públicos de Taguatinga (SISEPE), que responde pelos servidores públicos de Combinado, confirmou na manhã desta quarta-feira, 12, ao Conexão Tocantins, que o sindicato até então, já moveu quatro ações contra a prefeitura do município pela falta dos pagamentos. Dimar afirmou que as ações são referentes à falta de repasse do 13° salário do ano de 2008, salário e 13° do mês de dezembro de 2012, data base do mês de janeiro de 2013 e ultimas progressões de 2013.

O diretor ainda disse que o sindicato, mesmo estando movendo as ações, está à espera de propostas por parte da prefeitura do município.  “São ações que estamos movendo na justiça, e estamos negociando com a prefeitura do município uma melhor forma de pagamento. Estamos esperando a proposta da Prefeitura de Combinado e assim que a recebermos, repassaremos aos servidores, daí ou eles aceitam ou a Prefeitura faz uma contra proposta”, disse Dimas que ainda afirmou que o sindicato tinha agendado uma reunião com a prefeita e advogado da prefeitura para o dia 10 deste mês, "mas o advogado ligou pedindo para remarcar uma nova data, o mesmo disse que retornaria dia 17 e que ligaria para confirmar uma nova reunião”, salientou.

Acusação de favorecimento

Um servidor que preferiu não se identificar por receio de retaliação, acusa Maria do Socorro, atual prefeita de Combinado de favorecer familiares e pessoas próximas em cargos da prefeitura. Segundo informações, a Secretaria de Infraestrutura do município estaria a cargo do marido da prefeita, ex-prefeito Carlos Pinto da Silva, a Secretaria de Assistência Social seria ocupada pela filha de Maria do Socorro, Maria Analice, a Secretaria de Administração teria à frente a nora da prefeita. A Secretaria de Finanças também estaria sob o comando de um familiar da prefeita, no caso, uma cunhada.

Sobre a acusação, o diretor do Sisepe, Dimar Crisostemo Barbosa, afirmou ao Conexão Tocantins, não ter conhecimento sobre o caso.

O Conexão Tocantins entrou em contato com a prefeita de Combinado na manhã desta quarta-feira, 12, e ela negou todas as acusações e irritada encerrou a ligação no meio da conversa sem dar maiores esclarecimentos. “Estão mentindo, tudo isso é mentira, meu marido nunca trabalhou na secretaria”, afirmou Maria do Socorro que desligou em seguida o telefone.