Saúde

Foto: Divulgação

O Tocantins será o primeiro Estado brasileiro a incluir arroz fortificado na merenda escolar e refeições dos hospitais. O objetivo da iniciativa é combater à fome oculta e à desnutrição de micronutrientes, como ferro, zinco e vitaminas do complexo B. Estima-se que 40% da população brasileira sofre com o problema. O convênio foi assinado entre o governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), e a Path, organização internacional sem fins lucrativos.

Segundo o secretário executivo da Agricultura e Pecuária, Ruiter Pádua, a ação irá beneficiar os mais de 230 mil estudantes da rede estadual de ensino, que terão o arroz vitaminado incluído na merenda escolar, como também os pacientes dos hospitais. Desta parceria, fazem parte as Secretarias da Educação e Cultura (Seduc) e da Saúde (Sesau).

"Já treinamos uma porcentagem importante das merendeiras escolares e estamos realizando visitas aos rizicultores do Estado, para que estes últimos possam produzir o grão, criado a partir da quirera do arroz processado com adição de nutrientes”, ressalta Pádua. O arroz vitaminado é composto por uma mistura de arroz comum com uma porcentagem de 2% a 5% do grão produzido com vitaminas.

O consultor da Path, Sérgio Segall, fala sobre a tecnologia que produz o grão fortificado. “Se trata de uma tecnologia social que foi transferida gratuitamente para o governo brasileiro através da Universidade Federal de Viçosa e junto com a universidade nós estamos capacitando as instituições que querem implementar esse programa”, relatou. 

Segall afirma que a escolha do arroz é por se tratar de um alimento básico para a maioria da população mundial. “O arroz é um veículo para combater a fome oculta, que é a deficiência de micronutrientes. Este é um problema que afeta várias classes sociais e atinge dois bilhões de pessoas no mundo, sendo um problema sério, de saúde pública, e o arroz fortificado é um veículo que nós consideramos adequado, pois existe o consumo diário e as pessoas não mudam o hábito alimentar, elas continuam consumindo o arroz todos os dias”, enfatizou. O arroz fortificado fornece um terço das necessidades diárias de micronutrientes essenciais como ferro, zinco e vitaminas do complexo B.

Conforme Segall, os rizicultores do Estado têm mostrado interesse em adquirir a tecnologia. “Junto com a Secretaria da Agricultura e o Sindicato das Indústrias de Arroz nós visitamos as principais indústrias do Tocantins e elas demonstraram interesse em fazer parte do programa, principalmente, para poder fornecer para o Estado o arroz necessário para implementação do programa na merenda escolar. Nós estamos muito satisfeitos de poder contar com esse apoio do Governo do Tocantins e saber que o Estado está desenvolvendo o programa”, comemora o consultor.

Combate à desnutrição

A secretária de Estado da Educação e Cultura, Adriana Aguiar, destaca a importância em capacitar os profissionais que trabalham diretamente com a alimentação escolar.  “Sabemos que em muitos casos o alimento oferecido na escola é a principal refeição que a criança tem e devidamente preparada com o cuidado nutricional adequado. Por isso vejo que essa parceria também é um investimento contra a desnutrição” disse a secretária.

A rede estadual de ensino do Tocantins tem cerca de 180 mil estudantes. “Oferecer um alimento que traz ainda mais qualidade à refeição que já é oferecida nas escolas é agregar cuidados com as nossas crianças e os adolescentes. Isso vai ao encontro da meta da administração estadual que é cuidar das pessoas”, enfatizou Adriana. (ATN)