Polí­cia

Foto: Divulgação

O Secretário da Administração, Lúcio Mascarenhas, recebeu na tarde desta quinta-feira, 20, membros da Aspol - Associação dos Policias Civis do Tocantins. Na pauta do encontro, que na ocasião contou com a presença do presidente da Aspol, Davi Fernandes Nunes, do vice Artur Lemos e do diretor Hélio Santana, a proposta apresentada pela associação de paridade salarial da classe.

Para o agente, Hélio Santana, a intenção é igualar os salários da categoria. “Todos nós temos nível superior. Não tem porque termos salários diferenciados” relatou Hélio Santana, explicando que não existe diferenciação de trabalho e habilidade entre o Agente Policial e os demais cargos da instituição. 

O secretário ouviu todas as justificativas e relatos dos agentes e aproveitou a oportunidade para apresentar alguns membros da Comissão composta por técnicos da Secad – Secretaria da Administração, que já estava analisando o caso junto com o secretário de Segurança Pública, Eliú Jurubeba. “Na categoria já existe um precedente, que foi a paridade salarial, de Perito Policial e Perito Criminal”, destaca acrescentando que o estudo de viabilidade para Estado está sendo feito.

O presidente Davi Fernandes Nunes destacou a importância avançar sobre temas como o pagamento do retroativo referente aos anos de 2012 e 2013, o enquadramento dos Policiais de Classe Especial nas classes 1A e 2ª e 3A além da recontagem dos anos de serviço para progressão horizontal.Por fim, Hélio se diz satisfeito com a reunião e acredita que em breve os Policiais Civis terão a paridade desejada.

Durante o encontro, o secretário também falou sobre a elaboração do Certame para o preenchimento de cargos para Defesa Social, que também é uma solicitação antiga da Aspol. “Com o Concurso teremos como substituir policiais civis que atuam nos presídios por técnicos habilitados a trabalhar com ressocialização”, pontua.