Polí­tica

Foto: Clayton Christus

A deputada Estadual Solange Duailibe (SDD) questionou o atraso das obras da Ferrovia Oeste-Leste, trecho que liga Correntina (BA) à Figueirópolis (TO) e solicitou informações junto à VALEC e à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O requerimento foi apresentado nesta quinta-feira, 20.

De acordo com Solange Duailibe, a própria VALEC havia previsto que o referido trecho que liga Correntina (BA) à Figueirópolis (TO) seria concluído em dezembro de 2012. “Mas, até momento, nenhum trilho foi assentado e nem mesmo o projeto de seu traçado parece não estar concluído ainda e os tocantinenses precisam muito dessa ferrovia para alavancar a produção e a economia do Estado”, argumentou a parlamentar.

Necessidade

A deputada solicitou ainda, informações junto ao Ministério dos Transportes, sobre o andamento das obras da Ferrovia da Integração Oeste-Leste, como um todo, já que seus entroncamentos possibilitarão a ocupação econômica e social das regiões beneficiadas ao longo de seu traçado, de 1.516 km de extensão.

“A conclusão dessa obra, com certeza, elevará o crescimento de área plantada e, consequentemente, da produção de grãos, gerando mais empregos e renda e garantindo atratividade concernente a investimentos privados em todos os estados que serão cortados por seus trilhos” – justifica Solange.

Trecho tocantinense

A ferrovia Oeste-Leste, quando concluída vai passar pelos seguintes municípios do Tocantins: Alvorada, Arraias, Aurora do Tocantins, Combinado, Conceição do Tocantins, Figueirópolis, Gurupi, Lavandeira, Novo Alegre, Paraná, Peixe, Ponte Alta do Bom Jesus, Sucupira, Taguatinga e Taipas do Tocantins.