Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal, Júnior Coimbra (PMDB) participou na tarde desta última segunda-feira, 24, da audiência pública para tentar solucionar o problema da falta de asfalto nos 8 quilômetros de estrada entre Tocantínia e Lajeado e a ponte inacabada, na TO-245, em Rio Sono.

Durante toda a tarde moradores e indígenas estiveram presentes na Assembleia Legislativa do Tocantins para escutar das autoridades e responsáveis pelas conclusões das obras, o que impede de serem terminadas. A alegação que se tem é que a estrada de Tocantínia a Lajeado passa dentro da reserva indígena Xerente. 

Para a coordenadora de Meio Ambiente da Agetrans, Lúcia Leiko, o que falta é a autorização da Funai para liberação da obra. Já o superintendente do Ibama, Joaquim Henrique Montelo Moura, disse que no artigo 231 a reserva indígena é um patrimônio dos povos indígenas, e de acordo com o decreto 7.747 de 06/06/2012, a comunidade indígena necessita ser consultada, para que seja autorizada a conclusão das obras. "Só estamos aguardando os estudos voltarem da Agetrans, e vamos fazer isso o mais breve possível", concluiu o superintendente.

Já o vereador de Tocantínia, Lenivaldo Srãpte Xerente (PSD) - que foi eleito pelos indígenas - afirmou que a comunidade Xerente quer o asfalto. "Tenho certeza que a população indígena esta a favor daquele asfalto." Euvaldo disse que 80% dos Xerentes assinaram os papéis para que o asfalto fosse feito. 

Júnior Coimbra disse que já cobrou soluções várias vezes e que outros municípios do Estado também precisam de asfalto "Chapada de Areia, Lizarda, Mateiros, Centenário, Recursolândia, Itacajá, Povoado de Rio Sono e Maurilândia, que até passei lá semana passada, e tá um atoleiro só".

O presidente do Tribunal de Ética da OAB, Túlio Jorge Cheguri, em seu discurso disse que a legislação tem que ser cumprida e que existe a vontade comum pela conclusão da obra. Ele afirmou que vai a Brasília cobrar da Funai uma solução. "Vamos na Funai em Brasília. Vamos levantar a nossa bandeira em prol da sociedade. O povo é que dá o poder ao executivo para representá-los. Já foi feito ação, abaixo assinado. É o povo da região quem quer", disse.

O prefeito de Tocantínia, Muniz Araújo (PSD), disse já ter ido no Ibama e na Agetrans, atrás de solução. "Queremos que a cidade de Tocantínia entre para o desenvolvimento do Tocantins e que seja respeitada por ser uma cidade pioneira do Estado. O prefeito disse ainda estar comovido com o abandono da ponte de Rio Sono. "Quantos gastos foram feitos para uma ponte que falta apenas 30% para a conclusão", indagou Muniz.

Coimbra lembrou que a conclusão da ponte em Rio Sono é um problema antigo e fruto de gestões passadas. "A informação que se tem é que falta a resposta do Ibama. Mas isso é um desrespeito com a população, porque já estive in loco e sei que só é preciso colocar vigas em cima de dois vagões, pois uma parte das vigas já está colocada".