Geral

Foto: Divulgação

Com objetivo de enaltecer a presença da mulher e ressaltar sua importância para a comunidade e a família, a Secretaria de Defesa Social (Seds), por meio do Departamento de Proteção dos Direitos Humanos e Sociais, realizará ações voltadas às mulheres quilombolas da Comunidade Barra da Aroeira, localizada em Santa Tereza do Tocantins, neste sábado, 8; data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher. 

Segundo o supervisor dos Afrodescendentes e dos Povos Indígenas da Seds, André Luiz Gomes da Silva, a programação terá início às 9h, com a apresentação do curta metragem brasileiro “Vida Maria”, vídeo que trata de mudanças de comportamento. A programação termina com um almoço com as 85 mulheres da comunidade.  

As participantes também serão contempladas com a roda de conversa “Papel da Mulher Quilombola”, coordenada pelo supervisor André, e com a palestra “A Mulher no Espaço do Poder”, que será ministrada pela professora da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Ana Lúcia Pereira.

Para André Silva, a ação voltada às mulheres quilombolas será um momento muito especial. “Primeiro por ser o Dia Internacional da Mulher, e segundo, pela escolha da Comunidade Barra da Aroeira, uma das primeiras comunidades quilombolas no Estado a ser reconhecida. A presença da mulher quilombola é fundamental para a permanência da comunidade na área rural. Ela é a gestora, tem o poder de ser a administradora do ambiente e essa Comunidade tem uma especificidade: a líder, Dona Isabel Rodrigues, que é membro e representante da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), no Estado do Tocantins”, destaca o Supervisor.

Mulheres quilombolas

As mulheres quilombolas do Tocantins exercem papéis  fundamentais no quilombo, além  de cuidar das famílias e dos afazeres domésticos,  têm o papel fundamental no processo de união familiar. Sua importância não se resume a esses fatores, a mulher quilombola sempre teve o papel de ser orientadora, educadora, curandeira, ainda estende sua mão de obra nas roças e nas criações de pequenos animais para o sustento da família.

Comunidade Barra da Aroeira

A comunidade está localizada a 96 quilômetros da Capital, Palmas,  a 14 Km distante do município de Santa Teresa do Tocantins, com aproximadamente 200 moradores. Quase todos possuem o sobrenome Rodrigues, por serem descendentes de uma família de ex-escravos, iniciada em 1850, com o casamento de Félix José Rodrigues e Venância Rodrigues, que viviam em um quilombo no sul do Piauí e migrou por volta de 1871 para o antigo norte de Goiás. 

A maioria mora em casas de tijolos de adobe, com telhas de cerâmica rústica e água encanada através de poço artesiano comunitário. A visão geral da organização das casas forma um semicírculo em torno de um ponto de ônibus coberto, onde está localizado o aparelho de televisão; em um extremo do semicírculo, a igreja; no outro extremo, uma barraca de bebidas e um botequim.

Nos arredores cultivam arroz, feijão, mandioca, milho, cana de açúcar, maxixe, abóbora, manga, mamão, tamarindo, laranja e colhem produtos nativos da região como macaúba, buriti e pequi. A comunidade apresenta uma forte identidade negra, mantendo laços permanentes com os movimentos negros do estado do Tocantins, articulando-se às ações promovidas pelos órgãos públicos. Também é forte a influência feminina na representatividade da comunidade. (Secretaria de Defesa Social)