Polí­tica

Foto: Divulgação Sessão de homenagem foi presidida por Amália Santana Sessão de homenagem foi presidida por Amália Santana

A deputada estadual Amália Santana (PT) presidiu sessão solene nesta terça-feira, 11, em homenagem ao Dia da Mulher na Assembleia Legislativa. Amália indicou como homenageada a professora da Universidade Federal do Tocantins e jornalista, Cyntia Mara Miranda e em nome dela lembrou da luta e garra diária de todas as mulheres tocantinenses que ainda enfrentam muitos desafios todos os dias. “Todas as mulheres precisam ser reconhecidas de valorizadas e ter espaço na sociedade. Houve avanços mas  as mulheres ainda lutam por respeito e mais representatividade”, disse.

Em seu pronunciamento a homenageada, que recebeu o Diploma Mulher-Cidadã Guilhermina Ribeiro da Silva, agradeceu aos seus familiares presentes, amigos, alunos e à deputada Amália Santana pela indicação.

Ela falou da necessidade de mais espaço para as mulheres na sociedade e do orgulho em ser feminista. “Existe um senso comum que habita o imaginário social que o feminismo é algo ruim, que as feministas são mulheres mal arrumadas e mal amadas. Sou uma mulher bem amada obrigada, lá em casa pode faltar dinheiro mas amor com certeza não falta. Homens aqui presentes quero dizer para vocês que nós feministas não somos inimigas de vocês, nem queremos dominar o mundo, o que nós queremos é uma sociedade justa e igualitária onde nós mulheres não sejamos vítimas de violência, não sejamos invisíveis em espaços políticos como esse e não sejamos consideradas incapazes de exercer funções que vocês exercem”, afirmou sendo aplaudida por todos os presentes.“É preciso romper o preconceito, a sociedade seria bem melhor se todos nós fossemos feministas. O feminismo nunca matou ninguém, o machismo mata todos os dias”, completou.

“Em pleno século 21 é inconcebível que nós mulheres não possamos decidir sobre a nossa própria vida. Decidi dedicar esse diploma a todas as mulheres tocantinenses, especialmente às mais desassistidas das políticas públicas, as mulheres que não podem trabalhar porque nos seus municípios não têm creche pública para os seus filhos, as mulheres que não podem estudar porque falta acesso à educação e as mulheres vitimas de violência que tiveram seu discurso silenciado pelo medo", pontuou.

Segundo a homenageada, a construção de uma sociedade tocantinense melhor depende que mais mulheres possam ocupar espaços de decisão seja no parlamento ou nos órgãos públicos e que governo estadual e municipais reconheçam o papel das mulheres no desenvolvimento e destinem mais orçamento para as demandas. “ A igualdade entre os gêneros é um caminho para a consolidação da democracia”, concluiu.

Homenageadas

Além de Cyntia foram homenageadas também Vaina Freire Silva, servidora da Assembleia Legislativa, indicada pelo presidente da Casa, Sandoval Cardoso (SDD), a diretora do Sistema Nacional de Emprego do Tocantins (SINE), Marisa Sales, indicada pela deputada estadual Solange Duailibe (PT); a diretora e professora em Paranã, Haydeé de Souza Benevides,  indicada pela deputada Josi Nunes (PMDB).