Educação

Foto: Divulgação

Os técnico-administrativos (TAEs) da Universidade Federal do Tocantins do Campus de Palmas decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira 21, durante assembléia geral, realizada no auditório do Bloco IV – Campus de Palmas. Os campus de Araguaína, Arraias, Gurupi, Miracema do Tocantins, Porto Nacional e Tocantinópolis, foram orientados a realizarem suas assembleias na tarde desta sexta-feira. O encontro foi organizado pelo Sindicato dos Técnico-Administrativos da Universidade Federal do Tocantins (Sintad-TO).

A reunião em Palmas durou cerca de uma hora e meia. O momento foi usado para informes nacionais e locais, sobre a situação da conjuntura nacional da greve dos TAEs. O debate também abordou temas como carreira, condições e jornada de trabalho, assédio moral, validação de diploma de cursos de pós-graduação fora do país, dentre outros assuntos. Na próxima segunda-feira (24), os técnicos voltam a se reunir para formação do Comando de Greve Local.  

Reivindicação 

Os servidores técnico-administrativos das universidades federais brasileiras cobram do Governo Federal reajuste dos salários, que teriam sido desvalorizados pela inflação nos últimos anos. Outro detalhe é que a desvalorização atinge também benefícios como auxílio-alimentação e vale transporte, que também não tiveram reajustes, além da precarização dos serviços públicos.

Para a Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos de Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), o problema vai além da questão salarial, a categoria luta ainda pela revogação da lei que criou em 2011, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), responsável por gerir os hospitais universitários. 

Por: Redação

Tags: Fasubra, Greve, UFT