Polí­tica

Foto: Divulgação

A retirada de algumas assinaturas para abertura da CPI do Igeprev na Assembleia legislativa gerou polêmica no meio político. Durante a sessão desta quarta-feira, 27, quando foi aberta a CPI foi anunciado na sessão que os deputados Amália Santana, Solange Duailibe (SD), Stalin Bucar (SD) e Luana Ribeiro (PR) retiraram as assinaturas. Quando o pedido de CPI foi apresentado ainda no ano passado eram 14 assinaturas mas ontem no momento de apresentar o requerimento apenas o número mínimo necessário de deputados, 8, manteve as assinaturas.

No entanto a deputada do PT, Amália Santana encaminhou nota à imprensa onde nega ter autorizado retirado sua assinatura. A parlamentar disse que mesmo não estando presente na sessão não foi comunicada nem consultada sobre a retirada de seu nome do requerimento de abertura da CPI. “Amália Santana esclarece que manteve sua assinatura para abertura da CPI do Igeprev e que mesmo não estando presente na sessão desta quarta-feira, 26, quando foi aberta a CPI, não autorizou ninguém, em momento algum, a retirar sua assinatura nem foi consultada sobre alteração nas assinaturas já coletadas anteriormente”, informou.

Conforme a Assembleia divulgou, além de Sargento Aragão (PROS),  mais sete deputados a favor da instalação da CPI: Eli Borges (PROS), Marcello Lelis (PV), Freire Júnior (PV), Josi Nunes (PMDB), José Bonifácio (PR), José Augusto (PMDB) e José Roberto (PT).

Segundo a Assessoria da parlamentar, a petista não esteve em Palmas esta semana durante as sessões porque está participando de agendas sociais e ajudando a resolver demandas em vários municípios de sua região.

Veja a íntegra da nota:

Nota à população e à Imprensa

A deputada estadual do PT, Amália Santana, vem a público esclarecer á população tocantinense e à imprensa em geral que sempre apoiou desde o início das discussões bem como na proposição da abertura das CPI’s da Saneatins e a do Igeprev. Prova disso é que a parlamentar assinou o requerimento para abertura das duas Comissões por acreditar que é preciso apurar fatos obscuros que envolvem os dois órgãos.

Em razão de especulações que chegaram a ser veiculadas em alguns veículos de comunicação Amália Santana esclarece que manteve sua assinatura para abertura da CPI do Igeprev e que mesmo não estando presente na sessão desta quarta-feira, 26, quando foi aberta a CPI, não autorizou ninguém, em momento algum, a retirar sua assinatura nem foi consultada sobre alteração nas assinaturas já coletadas anteriormente.

A petista não esteve em Palmas esta semana durante as sessões porque está participando de agendas sociais e ajudando a resolver demandas em vários municípios de sua região.

Amália Santana reitera que é a favor da apuração de todas as possíveis irregularidades para que os bens públicos sejam resguardados e o patrimônio das trabalhadoras e dos trabalhadores tocantinenses sejam respeitados.

Assessoria de Comunicação e Imprensa