Estado

Foto: Divulgação

Durante às atividades do 98º Encontro do Colégio Permanente de Presidentes de Tribunais de Justiça do Brasil, técnicos do Tribunal de Justiça do Tocantins apresentaram as vantagens do Sistema de Processo Eletrônico (E-proc), implantado pelo TJTO, o qual permitiu a movimentação processual de forma eletrônica em todas as 42 comarcas do Estado, tornando os trabalhos 100% virtuais.

O funcionamento do E-proc foi apresentado aos magistrados através de um vídeo institucional e, em seguida, o diretor geral do TJTO, Flávio Leali e o diretor de Tecnologia da Informação do Tribunal, Rogério Nogueira fizeram considerações sobre as vantagens que o sistema oferece, entre elas a agilidade e a ausência do manejo de processos físicos e também da possibilidade  dos advogados  peticionarem em qualquer parte do mundo.

“Com a chegada do E-proc ficou tudo muito fácil e rápido. Acredito que a experiência pode ser dividida entre outros tribunais”, disse o diretor-geral.

Já o diretor de TI, Rogério Nogueira disse que a ferramenta é totalmente adaptável e que ela foi concebida pelo TRF 4. “Fizemos as adequações do software para o judiciário tocantinense. É uma ferramenta com acessibilidade e que possibilita a interação inclusive com os deficientes visuais e auditivos.

Em seguida, o Juiz Rafael Gonçalves de Paula, da 3ª Vara Criminal, explicou as funcionalidades da ferramenta e a agilidade na tramitação. Segundo ele o sistema permite customizar as atividades e fazer relatórios de trabalho de forma permanente.

Para o Juiz, Luis Otávio de Queiroz Fraz, da 2ª Vara Cível, a primeira do Brasil a ter todos os processos digitalizados, disse ainda que o sistema permite que as decisões saiam com força de mandado e com isso ganha-se tempo. “Com a instituição do e-Proc houve um ganho muito importante para o Tocantins. Hoje estamos vivendo uma nova fase, tanto magistrados como servidores e os jurisdicionados”, disse.

Certificado

A anfitriã do evento, desembargadora Ângela Prudente, entregou o certificado de participação ao presidente da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), o juiz de direito João Ricardo, por sua relevante atuação durante o congresso do Judiciário brasileiro. “Fico comovido com essa homenagem. Fiz todos os esforços para participar desse evento, pois temos que manter esse diálogo, temos que estar juntos, é agradável dialogar, trocar experiências. Para mim é um momento de enriquecimento, um acumulo de conhecimento” , destacou. Em seguida o presidente do Colégio de Presidentes, desembargador Milton Nobre, distribuiu aos magistrados o “Distintivo do Colégio Permanente”.https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif