Polí­tica

Foto: Divulgação

O seminário “1964, 50 anos depois da Ditadura no Brasil, para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça!”, acontece a partir desta segunda-feira, 31 em Palmas. A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e o Centro de Direitos Humanos de Palmas são organizadores do evento que a partir das 18h no Auditório da Assembleia Legislativa do Tocantins, logo após ato de repúdio ao golpe, que se iniciará às 16h no monumento à Coluna Prestes (praça dos girassóis).

O seminário faz parte do projeto “Memória, Verdade e Justiça no Tocantins”,  realizado por meio do Projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia. (Centro de Direitos Humanos) 

Programação

 31/03 – Segunda-feira

18:00 – Credenciamento

19:00 – Mesa de Abertura
19:30 – Palestra “O Golpe Civil Militar 50 anos depois” (Dr. Antônio Rago Filho – Puc/SP)

01/04 – Terça-feira

08:30 às 09:30 – Palestra “O Histórico da Guerrilha do Araguaia no Norte Goiano, Pará e Maranhão.” (Prof. Dra. Patrícia Mechi – UFT)

10:00 às 11:00 – Palestra “Guerrilha do Araguaia, Lei de Anistia e a condenação pela Corte Interamericana de Direitos Humanos.” (prof. Me. Aline Salles – UFT)

11:00 às 12:00 – Debate

14:00 às 16:00 -  Oficina “A ditadura civil-militar brasileira nas representações da grande imprensa: a batalha da Maria Antônia e a Copa do Mundo de 70.” ( IPDMS e Grupo de Pesquisa e Extensão “Repressão e resistência à ditadura no Tocantins” )

19:30 – Filme Debate “O dia que durou 21 anos” (Grupo de Pesquisa e Extensão “Repressão e resistência à ditadura no Tocantins”)