Educação

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação – Sintet se manifestou na manhã desta segunda-feira, 31, sobre a liminar determinando a ilegalidade da greve e o imediato retorno às atividades dos grevistas, sob pena de multa diária de 20 mil reais. O Sindicato afirmou que a alegação da Secretaria Estadual da Educação de que 90% das reivindicações já tinham sido atendidas não condiz com a verdade. “O Sintet considera que a alegação não condiz com a verdade, o que o Sindicato provará em sede de recurso à liminar”, informou o Sindicato.

O presidente do Sintet, José Roque Santiago aguarda ser notificado oficialmente e recorrerá da decisão. O Sintet informou ainda que a greve continua e que nesta segunda-feira, 31, às 15 horas acontecerá uma reunião do sindicato com a Seduc.

Veja a íntegra da nota do Sintet:

NOTA DO SINTET SOBRE A LIMINAR DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA QUE CONSIDERA A GREVE DOS TRABALHADORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO ILEGAL

Na tarde da última sexta-feira, 28, o Tribunal de Justiça do Tocantins, através do juiz convocado Helvécio de Brito Maia Neto concedeu liminar ao governo estadual determinando a ilegalidade da greve e o imediato retorno às atividades dos grevistas, sob pena de multa diária de 20 mil reais. 

O juiz acolheu todas as alegações da Procuradoria Geral do Estado, entre elas a de que corria um “avançado processo de negociação” e que “90% das reivindicações tinham sido atendidas” e que, portanto, não havia motivo para a deflagração da greve. O Sintet considera que a alegação não condiz com a verdade, o que o Sindicato provará em sede de recurso à liminar.

O presidente do Sintet, José Roque Santiago aguarda ser notificado oficialmente e recorrerá da decisão. O Sintet informa ainda que a greve continua.

Nesta segunda-feira, 31, às 15 horas acontecerá uma reunião do sindicato com a Seduc e logo após o Sintet tomará a decisão.

Por: Redação

Tags: Greve, José Roque Santiago, Sintet