Polí­tica

Foto: Esequias Araújo

O presidente da Câmara de Palmas, vereador Major Negreiros (PP), apresentou nesta quarta-feira, 2, no Plenário da Casa um requerimento que pede pagamento de horas extras para os militares da Capital. De acordo com a proposta seria realizado um convênio entre a Prefeitura de Palmas a Polícia e os Bombeiros, onde, nos dias de folga, aqueles que quiserem trabalhar, receberão pelos serviços prestados.

Os repasses dos recursos ficariam a cargo da Prefeitura de Palmas. O Paço estipularia regras, limites e valores e o pagamento seria mensal. O pagamento das horas extras aos militares, que trabalhariam regularmente fardados numa quantidade específica de horas, também seria de responsabilidade da Prefeitura. Vale ressaltar que seria opcional ao militar querer trabalhar nos seus dias de folga.

De acordo com Negreiros a solicitação beneficiaria ambos os lados. “Estamos proporcionando uma valorização para o profissional militar e também a oportunidade de oferecer mais qualidade de vida e segurança para o cidadão palmense”, afirmou.

O presidente citou como exemplo os números positivos dos lugares onde propostas análogas foram instauradas. “Nas cidades de São Paulo, Santo Amaro, Ribeirão Pires, Barretos e também na cidade de Nova Veneza no Goiás já há projetos neste sentido. No ABC Paulista houve uma redução de 13% nos furtos de carros. Já o índice de homicídios, apenas de 2009 para 2010, caiu 17%”, completou.

O requerimento de Negreiros deve ser colocado para discussão do Plenário nas próximas sessões.

“Não é prioridade”

Após a apresentação da proposta, o requerimento de Negreiros foi criticado pelo vereador Lúcio Campelo (PR) que chegou a afirmar que “existem outras prioridades municipais”. O presidente da Câmara rebateu as declarações de Campelo. “Segurança Pública, em qualquer gestão, é sempre prioridade”, afirmou.