Saúde

Foto: Divulgação

Será lançado nesta próxima quinta-feira, 10, às 14h, no auditório do Senac, em Palmas, o Projeto Maternidade Dona Regina pelo Parto Natural, com o objetivo de incentivar a prática do parto natural e empoderar mulheres e casais sobre os benefícios e vantagens de se ter um parto e nascimento natural. O lançamento do Projeto faz parte das atividades da Semana Nacional de Humanização e na ocasião será lançado um site institucional do projeto, material gráfico e apresentação de ações que serão desenvolvidas durante todo o ano.

O parto natural é o parto onde o médico simplesmente acompanha todo o processo, sem intervenções como anestesias, episiotomia (corte cirúrgico feito no períneo) e indução. As atitudes dos profissionais envolvidos neste parto também são fundamentais. O ritmo e o tempo da mulher e do bebê são respeitados e a mulher tem liberdade para se movimentar e fazer aquilo que seu corpo lhe pede. A recuperação é mais rápida.

O Hospital e Maternidade Dona Regina conta com uma equipe multidisciplinar e materiais que garantem o parto humanizado, como acompanhamento de fisioterapeutas na preparação e exercícios para a gestante, além de contar com um acompanhante antes, durante e depois do parto.

“No parto humanizado o atendimento é centrado na mulher, que é tratada com respeito e de forma carinhosa, podendo desfrutar da companhia da família, caminhar, tomar banho de chuveiro ou banheira para aliviar as dores. As intervenções de medicamento, aceleração do parto ou mesmo o tradicional corte vaginal acontece somente quando é estritamente necessário”, afirma a doula e fisioterapeuta Wilma Manduca.

Hoje no Brasil são realizados 80% de Cesáreas em hospitais particulares. Na rede pública este número cai para 35%, mas o número de nascimentos por parto normal ainda está muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde, que estipula uma média de 15% de cesáreas.

O Ministério da Saúde tem implementado inúmeras ações nestes últimos anos com o objetivo de diminuir as taxas de morbi mortalidade materna e neonatal. Dando maior incentivo ao parto natural e diminuindo as taxas de cesáreas. O Governo do Tocantins tem acompanhado esses avanços e o Hospital e Maternidade Dona Regina é a única maternidade pública da Capital do Estado que possui estrutura de alta complexidade, sendo referência em gestação de alto risco, e atualmente está se estruturando como Centro de Apoio ao Desenvolvimento de Boas Práticas Obstétricas e Neonatais.

Os números do Hospital e Maternidade Dona Regina mostram a grandiosidade da unidade hospitalar e a importância em incentivar o parto natural. Só no ano de 2013 foram registrados 24.736 atendimentos, sendo realizado 4.968 partos dos quais 2.601 foram normal e 2.367 cesárias.

Programação

14h – Abertura oficial do Projeto Maternidade Dona Regina pelo Parto Natural

15h -Palestra “Maternidade Dona Regina pelo Parto Natural: Objetivos,

Público alvo, metas e ações para o ano 2014”. – Wilma Manduca

15h30 - Mesa redonda “Boas Práticas na Atenção ao Parto e Nascimento”

•       José Manoel Batista dos Santos – médico ginecologista e obstetra e presidente do Comitê de Atenção ao Parto e Nascimento;

•       Carlos Alexandre Gurgel – médico pediatra coordenador da Sala de Parto do Hospital e Maternidade Pública Dona Regina e Médico da UTI pediátrica do Hospital Geral de Palmas;

•       Mayane Villela - enfermeira especialista em Enfermagem Obstétrica e experiência na área da saúde da mulher;

•       Wilma Manduca -fisioterapeuta e doula, especialista em fisioterapia hospitalar, realiza preparação de gestantes para o parto desde 1985 tendo acompanhado mais de 2000 casais na preparação para o parto, acompanhando mais de 400 partos para palestrar.

18h – Intervalo

19h30 –Palestra aberta à comunidade “Parto Normal x Cesária”

•       Alexandre Barbosa – Ginecologista e Obstetra. (Ascom Sesau).