Educação

Foto: Bianca Zanella

O Comando de Greve do Sindicato dos Servidores Técnico-Administrativos (Sintad) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) apresentou na tarde desta última quarta-feira (9) à Reitoria e ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) uma lista com 23 tópicos de reivindicações. O encontro foi mais um passo na busca de um acordo para o impasse que gira em torno da paralisação das secretarias acadêmicas, afetando principalmente os processos de matrículas e colações de grau, com consequências sobre o andamento de todo o calendário acadêmico.

Durante a conversa com os servidores, o reitor, Márcio Silveira, analisou cada uma das demandas apresentadas, e disse ter saído otimista da reunião. "Nós acatamos as propostas e vamos procurar atender tudo aquilo que está ao nosso alcance. O que não é pauta local, mas sim nacional, como a questão do aumento do número de vagas em concurso público, nós vamos levar às instâncias superiores para apoiar a luta dos servidores".

Silveira pediu a sensibilização da categoria para que inclua em sua pauta de reivindicações a questão da autonomia universitária, e que volte a discutir a realização dos serviços considerados essenciais na instituição. A Reitoria deve preparar um documento se comprometendo a dar encaminhamento às demandas apresentadas para ser apresentado aos técnicos-administrativos na assembleia marcada para esta sexta-feira (11), e aguarda o posicionamento da categoria para voltar a deliberar sobre o calendário acadêmico e demais questões administrativas.

Alunos e professores encontram-se em recesso e, até uma nova decisão, o início do primeiro semestre letivo de 2014 está mantido para o dia 22 de abril. (Ascom UFT)