Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

A Associação dos Praças Militares do Tocantins (Apra) recebeu denuncias de que a bolsa destinada aos candidatos a soldado do curso de formação da Policia Militar está atrasada há mais de 15 dias. O Curso de Formação de Soldados da Policia Militar (CFS) teve inicio no mês de fevereiro e hoje, com quase três meses de academia, os candidatos só receberam valor referente a uma única bolsa. Segundo relatos de alunos que não querem se identificar, muitos colegas estão passando por necessidades extremas, inclusive fome, em virtude do atraso.

A bolsa destinada aos candidatos do curso de formação da PMTO deveria ser paga até o dia 10 de cada mês, segundo a Apra. Além de custear as despesas pessoais os alunos ainda precisam cobrir os custos específicos do curso (uniformes e equipamentos), para tanto o pagamento do auxilio é essencial para a manutenção do candidato, visto que a prometida bolsa no valor de R$ 800,00 é o único recurso financeiro a que eles têm acesso durante todo o processo. Segundo informações dos próprios candidatos, muitos são pais de família que tiveram que abrir mão de seus antigos salários para ingressar na formação. “Já é difícil manter uma família com 800 reais, mas sem essa bolsa fica praticamente inviável continuar no curso”, relatou um candidato que não quis ter o nome exposto.

O curso de formação da PMTO terá duração de seis meses e acontece em período integral. As atividades físicas e intelectuais possuem uma carga pesada e exigem resistência física e mental dos candidatos. Para cumprir o curso com excelência é preciso que, no mínimo, os candidatos tenham condições de manterem uma boa alimentação, o que deve ser mantida através da bolsa-auxilio. A Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins espera que esta situação seja avaliada pelo comando da PMTO e pelo governo do Estado e regularizada o mais rápido o possível. (Ascom Apra) 

Comando da PM

O Comando da Polícia Militar informou ao Conexão Tocantins que 460 candidatos estão em processo de formação no curso de formação da PM, e que 19 tiveram inconsistências nos dados bancários com números incorretos ou contas inativas e outros com CPF incompletos, motivo pelo qual o Sistema de Administração Financeira dos Estados e Municípios ( Siafem) teria recusado os pagamentos.

Ainda segundo o comando da PM, a Secretaria da Fazenda no último dia 19, efetuou o pagamento dos 19 candidatos que tiveram problemas com dados incorretos. Ainda segundo o comando, somente o pagamento do mês de março está pendente, e serão brevemente regularizados.

Ainda segundo informações, o processo de pagamento do mês de março já se encontra na Secretaria da Fazenda do Estado do Tocantins e segundo o gestor da pasta deverá ser creditado o valor correspondente ao custeio da bolsa auxílio referente ao mês, nas próximas horas.

Sefaz

A Secretaria da Fazenda informou que até o dia 30 de abril os valores referentes ao mês de março de 2014 serão quitados. (Matéria atualizada às 17h53)