Saúde

Foto: Divulgação Os cães devem ser submetidos a exames para detecção da doença Os cães devem ser submetidos a exames para detecção da doença

A partir do dia 20 de maio vai começa em Gurupi a distribuição das coleiras que combate ao mosquito palha, transmissor da leishmaniose.  

Na cidade são 15 mil cães, e por causa disso a preocupação com relação à doença é ainda maior. Para evitar a proliferação da leishmaniose, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), vai distribuir as coleiras nos bairros Alto da Boa Vista, Sol Nascente e o Parque das Acácias, bairros que apresentaram o maior índice da doença.

No bairro Alto da Boa Vista  são 599 cães que vão receber a coleira, no  Parque das Acácias 247 e  Sol Nascente 766. “Até o fim do ano que vem pelo menos 80% dos cães vão receber o acessório”. Afirmou o coordenador do Centro de Controle de Zoonoses de Gurupi, Henrique Alencar.

Sobre a Coleira:

A coleira colocada no cão repele o mosquito, mas não causa alergia. Deve ser trocada de seis em seis meses.

Sobre a doença:

A leishmaniose é transmitida pelo mosquito palha, que pica o cachorro doente e leva a doença para o homem também pela picada. Para evitar a proliferação, os moradores devem manter o quintal limpo. O mosquito se reproduz em locais úmidos e em material em decomposição.

O teste para saber se o animal tem a doença é feito de graça no CCZ, o resultado  fica pronto em 15 minutos.  No ano passado cinco mil cães foram submetidos a testes de calazar  em Gurupi.