Campo

Foto: Joatan Silva

Com a meta de imunizar mais de oito milhões de cabeças de bovinos e bubalinos e manter a porteira fechada contra a febre aftosa, o Tocantins abriu oficialmente a campanha de vacinação contra a febre aftosa, uma das principais doenças de maior impacto na economia. O evento ocorreu neste último sábado, 03, em Araguaína, região norte do Estado, na Fazenda Morada do Sol de propriedade de Roberto Paulino.

Segundo Paulino que também é presidente do Sindicato Rural de Araguaína, nas suas propriedades rurais as atividades que se destacam são cria, recria e engorda de bovinos, além da criação de cavalos, por isso sabe da importância de vacinar o rebanho para abertura de novos mercados. “Como produtor reconheço a importância desta vacinação. No ano passado alcançamos mais 99% de índice vacinal e este ano torço para atingirmos 100%”, afirmou.  

Livre da febre aftosa há 17 anos, o Tocantins e toda cadeia pecuária têm papel importante nas exportações, o ano passado vendeu mais de 34 mil toneladas de carnes in natura. “Um dos instrumentos mais importante é o entrosamento de todos em se empenharem para a manutenção do status sanitário livre de febre aftosa com vacinação, por isso quero parabenizar todos os produtores rurais e funcionários da Adapec”, ressaltou o superintendente Federal da Agricultura, Mário Márcio de Barros.

A visita da União Européia está marcada para outubro e o Estado já está se preparando para atender este bloco que é um dos mercados mais exigentes do mundo. “Temos uma missão importante que é a abertura do mercado europeu para carne bovina tocantinense, e estamos todos empenhados, pois essa conquista proporcionará ao nosso produtor mais segurança nos investimentos para aumentar sua produção, lucro e um produto mais competitivo”, disse o presidente da Adapec, Marcelo Aguiar Inocente.

Marcelo destacou ainda os investimentos do Governo do Estado que tem alcançado anualmente R$ 70 milhões no Sistema de Defesa Agropecuária, em parceria com o Ministério da Agricultura. “Todos esses investimentos têm o objetivo de manter o controle e erradicação de doenças no rebanho e pragas dos vegetais para continuar eliminando o aparecimento de enfermidades.”, pontuou.

O Secretário da Agricultura e Pecuária, Júnior Marzola, que representou o governador do Estado, Sandoval Cardoso, destacou a luta antiga da pecuária tocantinense para erradicação da febre aftosa em toda região Norte do país e a importância da visita da União Européia e de toda a cadeia produtiva que não têm medido esforços para aprovação dessa conquista. “Temos a obrigação de valorizar nosso rebanho, para alcançarmos o mercado europeu, já estamos rastreando de 20 a 30 propriedades rurais para serem vistoriadas e todos já estão se adequando as exigências. Queremos ainda, dentro de dois anos tornar o Tocantins livre de febre aftosa sem vacinação e sabemos que temos capacidade para isso”, ressaltou.

Campanha

A primeira da campanha da campanha ocorre de 1º a 31 de maio, onde todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) deverão ser imunizados. O produtor tem até dez dias após a compra da vacina para comprovar o ato na Adapec. 

Em 2013, Os estados de Tocantins, Goiás e Mato Grosso alcançaram os maiores índices de vacinação contra a febre aftosa nas duas etapas anuais de 2013, ultrapassando 99% do rebanho imunizado. A próxima campanha será realizada em novembro.