Campo

Foto: Frederick Borges

Com intermédio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária (Seagro), produtores de eucalipto, a empresa Granol e o Banco da Amazônia firmaram um acordo por meio do qual a empresa beneficiadora de soja se comprometeu a comprar parte da produção das árvores como combustível e, desta forma, permitir aos silvicultores o pagamento das parcelas de financiamento feito junto à instituição financeira. 

De acordo com o secretário da Agricultura e Pecuária, Junior Marzola, o entendimento entre as partes vem a beneficiar o desenvolvimento do agronegócio tocantinense, permitindo que o endividamento dos produtores não inviabilizasse futuras produções. “Foi algo excelente o que aconteceu aqui. A Granol se comprometeu a comprar a produção de eucalipto desses silvicultores, que poderão quitar suas dívidas com o banco”, celebrou.

Presente no encontro, o superintendente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, destacou que, a partir do acordo com a grande beneficiadora de soja e os silvicultores, todas as partes saem ganhando. “Os produtores de Pedro Afonso plantaram eucalipto com financiamento do banco e acabaram sem destinação para isso. O banco, a empresa e os produtores entenderam que poderiam dar um destino para o eucalipto e sanar as dívidas dos produtores. Todos saem ganhando, pois a Granol precisa da matéria-prima, os produtores conseguem vender o eucalipto e o banco consegue receber”, completou. 

Do lado dos produtores da região, a medida será um grande benefício, pois com a produção encalhada, as dívidas aumentariam, o que prejudicaria as futuras safras. Segundo a silvicultora Marinalva Pinto Wanderley, o resultado da reunião intermediada pelo governo do Estado foi positivo. “A Granol, que normalmente trabalha com soja, agora passará a utilizar as variedades de eucalipto”, disse.

A partir do acordo entre silvicultores, empresa e banco, o próximo passo, conforme a produtora rural, será as visitas dos técnicos da Granol nas propriedades que plantaram eucalipto na região. “Vamos organizar as visitas dos técnicos da Granol para conhecerem as nossas florestas, e isso graças ao intermédio da Secretaria da Agricultura”, frisou.

Silvicultura tocantinense

Dados preliminares de um levantamento feito pela Coordenadoria de Agroenergia da Seagro apontaram que o Tocantins possui uma área de 137 mil hectares de florestas plantadas, das quais 92% compreendem florestas de eucalipto e 3% de seringueiras. A previsão é que, para 2014, a área chegue a 156 mil hectares. (ATN)