Estado

Os servidores municipais de Piraquê vão fazer três dias de paralisação das atividades no trabalho, como forma de pressionar a administração municipal a abrir a negociação em prol de seus direitos trabalhistas. A decisão foi tomada durante Assembleia Geral convocada pelo Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (Sisepe-TO), ocorrida no último dia 12, no município de Piraquê.

Os servidores públicos exigem que o prefeito João Batista cumpra os seguintes direitos: 1) aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR); 2) pagamento do adicional noturno e adicional de insalubridade; 3) pagamento da data-base. 

Na assembleia, ficou deliberado que os dias de paralisação acontecerão de forma alternada. As datas escolhidas para o protesto foram: 19 de maio, 25 de maio e 2 de junho, a partir das 7 horas da manhã.

Segundo o diretor regional norte do Sisepe-TO, Welton Freitas, a proposta do PCCR foi entregue ao prefeito e até o momento, não houve resposta da administração municipal. “A Prefeitura precisa cumprir os direitos dos servidores. E a categoria não vai medir esforços para que isso aconteça”, argumentou o diretor.

Caso os três dias de paralisação não sensibilizem a administração municipal para reabrir a negociação com os servidores, haverá greve por tempo indeterminado no município. 

Por: Redação

Tags: Piraquê, Sisepe, Welton Freitas