Polí­tica

Foto: Divulgação

A CPI do Igeprev mais uma vez não começará os trabalhos em razão de alguns fatos novos nesta quarta-feira, 21. Primeiro, o deputado do PMDB, José Augusto Pugliesi, pediu a retirada de seu nome do requerimento que pediu a abertura da CPI. Em seguida o líder do governo, Carlão da Saneatins, que foi indicado como membro da Comissão, pediu também para ser substituído.

O deputado Ricardo Ayres (PSB) pediu para integrar o bloco do PSDB e deve ser indicado no lugar de Carlão para a CPI.  O deputado José Roberto Forzani (PT) criticou o que chamou de articulação do governo para impedir os trabalhos da CPI. “Se a bancada do governo quer esconder roubalheira no Igeprev que assuma isso para o povo”, disse.

O petista chegou a pressionar o presidente Osíres Damaso. “Vossa Excelência como presidente tem que cumprir o regimento. Essas 48 horas que diz o regimento já faz 55 dias. Vossa excelência não pode mais postergar”, cobrou. Segundo ele o presidente não está cumprindo a palavra de pedir a indicação dos partidos do governo para a Comissão.

O presidente Damaso explicou que não vai agir por pressão. “Vossa excelência para mandar nessa Casa tem que se eleger presidente. Deputado aqui não manda sozinho tem que ser pela maioria”, frisou. Damaso ficou de fazer uma nova discussão para indicar o nome que vai substituir o líder Carlão da Saneatins na comissão.

Os desvios estimados no Igeprev passam de 100 milhões e são constantemente destaque nacional.