Polí­tica

Foto: Divulgação

Um dia depois do pedido de socorro feito pelos funcionários do Hospital Dona Regina, ao paralisarem suas atividades para reivindicar melhor estrutura de trabalho, uma bebê de um ano e sete meses morreu na cidade de Colinas do Tocantins, após esperar por quase 8 horas que o Governo do Estado enviasse uma UTI Aérea.

“Esse é um fato lamentável. É comovente ver o relato de um pai, desesperado por ter perdido seu único filho e não poder fazer nada para impedir. É revoltante saber que, conforme foi divulgado pela imprensa, a UTI Aérea não socorreu o menino porque o Governo do Estado não pagou uma dívida que tem com a empresa que presta o serviço. Infelizmente essa foi uma tragédia anunciada. Há anos a saúde do Estado faz suas vítimas todos os dias por inoperância do Governo, por falta de uma gestão eficiente que consiga oferecer um serviço de qualidade ao cidadão tocantinense. Peço a Deus que conforte a família dessa criança”, alertou o deputado Marcelo Lelis (PV). 

Como o presidente da Comissão de Saúde, Meio Ambiente e Turismo, o deputado Marcelo Lelis convocará uma reunião com os parlamentares para que se proponha ações que possam resolver o problema da saúde no Tocantins. Ele também organizará uma visita de um grupo de deputados ao Hospital Dona Regina para ver de perto a real situação do serviço de saúde materno-infantil público oferecido pelo Governo do Estado em Palmas.

“Estamos fazendo isso em todo o Tocantins. Já estivemos em Gurupi, fazendo uma audiência pública para discutir a situação do Hospital Geral da cidade. O mesmo foi feito com o Hospital Geral de Palmas e faremos também em Araguaína. Faltam medicamentos básicos para prestar atendimento e estrutura para que os profissionais da saúde possam trabalhar com dignidade. Pessoas estão correndo risco de morrer pela incompetência do Governo Estadual. Isso não pode acontecer”, avalia Marcelo Lelis.

Vergonha nacional

A precariedade do Hospital Dona Regina foi exposta a todo Brasil em reportagem veiculada no jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, na manhã da última quarta-feira (28). “O Tocantins virou motivo de indignação nacional. É uma vergonha para o nosso Estado. Se faltam medicamentos e materiais de trabalho nos hospitais é porque não existe uma gestão eficiente, que tenha planejamento em suas ações. Vemos diariamente a falta de materiais essenciais nos hospitais em todo o Tocantins, enquanto isso, no depósito do Estado, vimos recentemente medicamentos se perdendo, estragando por não terem um armazenamento adequado. O que vemos é um Governo feito de improviso, desorientado em suas ações. Não existe organização na gestão pública, não se tem planejamento nas ações do Governo, e acima de tudo falta cuidado com o povo tocantinense”, afirma.

Marcelo Lelis criticou a postura do governador Sandoval Cardoso diante do caso. “O atual governador, que deu continuidade ao governo Siqueira Campos, está em campanha, enquanto pessoas estão morrendo nos corredores dos hospitais do Estado. Hoje (29) mesmo, ele esteve num café da manhã em Araguaína e o assunto não era a grave situação do Hospital Regional da cidade ou a morte desse bebê em Colinas, mas sim o apoio político para sua campanha. Enquanto a reportagem que mostrou o descaso com o Hospital Dona Regina era feita, o governador estava em uma cavalgada, deixando clara a falta de compromisso na solução dos problemas sérios vividos na saúde pública do Tocantins, assim como em outras áreas como segurança, infraestrutura. Ele foi ao Dona Regina, mas o problema não foi resolvido. Esse é o preço que nós tocantinenses estamos pagando pela eleição indireta de um governador que, para ser candidato vive de criar factoides, se esquecendo que as notícias verdadeiras são aquelas que mostram um Tocantins real para o Brasil, situação que envergonha a todos nós tocantinenses”, critica Lelis.