Educação

Foto: Manoel Lima

Por meio do programa Educando para a Vida, estudantes são conscientizados sobre a importância de se ter responsabilidade nas ruas, seja como pedestre ou condutor. O objetivo é formar multiplicadores e conscientizar os futuros agentes no trânsito.

O programa desenvolvido pelo Departamento de Trânsito do Tocantins (Detran) em parceria com a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) atende atualmente cerca de 268 mil estudantes do ensino fundamental de todas as redes de ensino. Os alunos são orientados sobre como se comportar corretamente no trânsito e a obedecer às regras de tráfego seguro e responsável.

“Trânsito é locomoção pelo espaço. Muitas vezes, as pessoas têm em mente que trânsito só tem a ver com veículos, e não é só isso. É mais uma questão de comportamento enquanto motorista, ciclista, pedestre e passageiro. Tanto que o programa não quer ensinar a criança, por exemplo, a dirigir, o objetivo é ensinar cada um a se proteger e proteger todos que estiverem juntos”, ressalta uma das responsáveis técnica pelo projeto no Detran, Luciana Pegoraro.

Multiplicadores

O programa teve início em 2012 e é desenvolvido nos 139 municípios do Tocantins. Em Palmas, 23 escolas são atendidas. Na Escola Estadual Novo Horizonte, Aureny IV, o projeto faz parte do calendário de aulas. Para o diretor Josenilson Vieira dos Anjos, a iniciativa faz com que os estudantes cresçam com uma mentalidade mais consciente em relação ao trânsito. “Todo trabalho que discute problemas sociais que fazem parte da realidade dos alunos e contribui com a sociedade é muito importante e bem-vindo”, ressalta.

Lucas Cunha Borges, de 14 anos, é um dos estudantes que estão aprendendo sobre as leis de trânsito. Segundo ele, é preciso saber das regras antes mesmo de tirar a carteira de habilitação. “O espaço é direito de todos, não é só dos motoristas, dos pedestres ou dos ciclistas. Eu aprendi com o programa, por exemplo, como é melhor você, às vezes, andar um pouquinho mais para atravessar na faixa de pedestre, falo isso, sempre, com meus primos”, afirma o aluno do 9° ano.

Wádla Rufino dos Santos, 13 anos, também conta o que aprendeu no programa e diz que repassa os ensinamentos aos familiares. “Meus dois irmãos dirigem. Já falei pra eles, quando beberem, nada de pegar o volante”, alerta.

Material didático

Com material didático específico para ser trabalhado em sala de aula, a temática do trânsito é inserida em diversas disciplinas nas escolas. Os livros são para o 1° ao 9° ano, com conteúdo compatível a cada série, abordando desde a noção de lugares, como a própria casa, ao conhecimento das leis, convívio social, direitos e deveres.

Segundo a professora Léia Celói Prates, a diversidade do material facilita o trabalho na escola. “Achei muito interessante, é muito bom, diversificado, colorido. E o mais importante, cada aluno tem seu livro. Nós trabalhamos o material 100%, introduzimos em algumas disciplinas, com um foco maior em Artes, e tivemos resultado”, afirma.

Ação integrada

Para a secretária de Estado da Educação e Cultura, Adriana Aguiar, o projeto é importante justamente por ser direcionado aos futuros condutores, pedestres e e demais agentes no trânsito. “Além das disciplinas da educação básica, os estudantes têm a oportunidade de aprender lições para a vida e esse trabalho em sala de aula é fundamental do ponto de vista da formação de cidadãos”, disse Adriana Aguiar. Para ela, a parceria com o Detran Tocantins vai ao encontro da orientação do governo do Estado que é a atuação conjunta para ações que alcancem todo o Tocantins.

O diretor geral do Detran Tocantins, coronel da Polícia Militar (PM) Júlio César da Silva Mamede, também destaca o caráter de cidadania do projeto. “Além de ser pioneiro no Brasil, é o maior programa de educação para o trânsito já desenvolvido no Tocantins. O objetivo principal do governo do Estado com essa ação é a preservação da vida, pois não estamos formando apenas futuros condutores, mas também pedestres, ciclistas e cidadãos mais conscientes sobre os seus direitos e deveres no trânsito’’, disse.

Interdisciplinaridade

No Colégio Estadual Osvaldo Franco, em Araguatins, a 601 km de Palmas, um projeto desenvolvido pela professora de matemática trabalhou a temática do trânsito. Entre os assuntos abordados, os alunos do 8º e 9º ano aprenderam em sala de aula sobre estatística, ao levantar os índices de acidentes, sobre as formas geométricas presentes nas placas de sinalização e ângulos, utilizando as retas e semirretas das pistas.

Para a professora Cláudia Gomes de Morais, o projeto ajudou a tornar as aulas mais interessantes e chamou a atenção dos estudantes. “Eles conseguiram assimilar, trazer pra a realidade aquilo que está no livro, no conteúdo programação. Foi muito bom”, ressalta. (Ascom Seduc)