Estado

Foto: Divulgação

Após o Ministério Público Estadual notificar a Fundação Unirg na terça-feira, 10, com recomendatória, orientando a Fundação a reduzir o número de professores contratados. A Unirg prestou esclarecimentos sobre a Notificação por meio de nota e pontua que as contratações foram feitas por necessidade e que as providências já estavam sendo tomadas.

A Fundação justifica que as contratações foram feitas por necessidade e pautadas nas solicitações de cada coordenação, ratificadas pela Reitoria e Pro-Reitoria de Graduação. A Fundação ainda explica que buscará entendimento junto ao MPE.

Confira nota na íntegra

Nota de Esclarecimento – Contratação de Professores

- A notificação do MPE reforça os procedimentos internos já adotados, visando a redução de contratação temporária para a Instituição.  A presidência afirma que todas as contratações foram feitas por efetiva necessidade e pautadas nas solicitações de cada coordenação, ratificadas pela Reitoria e Pro-
Reitoria de Graduação, procedimento este que originou o processo administrativo 201402000911, onde consta toda a documentação;

- A quantidade de professores contratados apontada na Notificação se justifica em vista da existência de professores licenciados (20); professores em cargo de gestão; vagas não preenchidas por não aprovação do candidato ou inexistência deste, em especial no curso de Medicina, onde 41 docentes são contratados; cursos em processo de reestruturação, a exemplo de Farmácia com 18 professores temporários, entre outros motivos relevantes. A atividade acadêmica é serviço essencial e, portanto, não pode sofrer interrupção.

Assim sendo, as providencias mencionadas na notificação já estavam em curso, em especial a convocação de parte do cadastro de reserva ainda neste primeiro semestre. Quanto aos demais tópicos, buscar-se-á entendimento junto ao MPE.

Necessário lembrar que o concurso público realizado com apenas 10 meses desta administração estava paralisado desde 2010, o que demonstra compromisso com os princípios da moralidade, impessoalidade e legalidade.

Por: Redação

Tags: Ministério Público Estadual, Unirg