Saúde

Foto: Marcio Vieira

A hepatite do tipo B é uma doença infecciosa causada pelo vírus B (HBV) e está presente no sangue, no esperma e no leite materno. A maioria dos casos de hepatite B não apresenta sintomas, tornando-a uma doença silenciosa que pode se desenvolver de forma aguda ou crônica. Para se prevenir basta tomar as três doses da vacina, usar camisinha, não compartilhar objetos de uso pessoal ou seringas.

“Segundo dados coletados do Sistema de Informações de Agravos de Notificação [Sinan] somente nos cinco primeiros meses deste ano foram confirmados 65 casos de indivíduos que tiveram contato com vírus, ou seja, pessoas que apresentaram a infecção recente, ou que se tornaram imunes, ou ainda que passaram a ter a doença de forma crônica exigindo tratamento médico para toda a vida”, afirma a assessora de Assistência e Vigilância das DST, Aids e Hepatite Virais da Secretaria Estadual da Saúde, Milena Alves de Carvalho Costa.

O governo do Estado, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), disponibiliza gratuitamente vacina contra a hepatite B nos postos de saúde. Para ser imunizado, o recomendado é que a pessoa deve ter até 49 anos, 11 meses e 29 dias ou pertencer ao grupo de maior vulnerabilidade como gestantes, trabalhadores da saúde, bombeiros, policiais, manicures, populações indígenas, doadores de sangue, gays, lésbicas, travestis e transexuais, profissionais do sexo, usuários de drogas, portadores de DST.

A coordenadora de Imunização da Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), Marlene Alves, conta que a vacinação de hepatite B está implantada no Estado desde 1995. “No primeiro momento, a vacina foi destinada para criança menor de um ano e depois foi ampliando até pessoas com 49 anos ou mais. E neste momento convidamos os adultos jovens a procurarem os postos de saúde para se vacinarem, pois se trata de uma doença grave que pode ser transmitida, principalmente, através de relações sexuais, e que pode levar à cirrose hepática ou a um câncer de fígado. Essa é uma doença que precisa ser evitada e, para isso, nós temos a vacina e está disponível nas unidades de saúde”, reforçou.

Ainda segundo a coordenadora, a imunização só é efetiva quando são tomadas as três doses. Para as pessoas que têm dúvidas sobre se está imune ou não, as unidades de saúde também disponibilizam teste rápido para confirmar.

Transmissão

A transmissão da doença ocorre através de relações sexuais sem uso de camisinha com uma pessoa infectada; da mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação. Por isso, é necessário que durante o pré-natal seja realizado o exame para diagnosticar a mãe e assim tomar as medidas necessárias quanto ao bebê. Também ocorre a transmissão ao compartilhar material para uso de drogas a exemplo de seringas, agulhas e cachimbos ou de higiene pessoal como lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam; através de instrumentos usados para confecção de tatuagem e colocação de piercings; e também por transfusão de sangue contaminado.

Sintomas

A hepatite B é uma doença silenciosa, mas em alguns casos pode apresentar sintomas como cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Esses sinais costumam aparecer de 30 a 180 dias após a infecção. (ATN)

Por: Redação

Tags: Hepatite B, Marlene Alves