Cultura

Um grupo de vários artistas do Estado formou um grupo e cobrou ao Governo do Tocantins o pagamento dos Editais do Procultura do ano passado. “Devolva a dignidade á classe artística! Respeite o povo tocantinense e sua produção cultural. Homologuem-se os editais Já”, pede o grupo.

Os artistas questionam o governador Sandoval Cardoso sobre a demora no pagamento. “A Vossa campanha começa a ficar comprometida, vai levar fama de 'caloteiro'. Além disso, é preciso entender algo fundamental: O Senhor não faz ato de bondade honrando os compromissos com a Cultura. O Senhor sabe que existe neste País um Ministério só para a Cultura, é muito não é!? Mas existe, não somente um Ministério, mas um Sistema Nacional de Cultura. E se existe um Ministério, uma Ministra; existem leis que amparam toda esta estrutura. Da mesma forma, existe na esfera estadual, onde o senhor é governador, Tocantins, um marco legal e 'moral' de respeito com a classe artística principalmente, pois aqui ao contrário do que muitos defendem, não é uma terra sem leis, existe, por exemplo, a Lei do Fundo Cultural, nº 1.402/2003 que destina 0,5%, somente, do orçamento do Estado para a cultura, dentre outras, e para onde está indo este montante financeiro, que possibilita ao artista a promoção do saber,  inserção social,  lazer,  reflexão, arte e cultura”, questionam.

O grupo reitera os R$ 5 milhões que deveriam ser destinados para a Cultura e questionam a destinação da verba. “Entenda! artistas não vivem de brisa, precisam de dignidade humana, ter o seu trabalho remunerado e da maneira mais democrática possível, por editais e outras ferramentas de políticas culturais sérias. Quem de fato está interessado em encontrar irregularidades neste processo, Senhor governador? O que mesmo se poderia fazer com 5 milhões, vindo da Lei do Fundo Cultural, além de empregar na cultura do Tocantins? Muitas festinhas no interior?", questionam.

União dos Artistas

Todos os artistas do Tocantins, se uniram via redes sociais (Facebook, Twitter, Whatspp, etc.) e formaram esta União dos Artistas do Tocantins, que conta com músicos, artesãos, brincantes de culturas populares, quadrilheiros, capoeiristas, atores, produtores, diretores, coreógrafos, literatos, bailarinos, artistas visuais, fotógrafos, cineastas, indígenas, quilombolas, grupos formais e informais, companhias, academias, produtoras, federações, associações.. enfim.. todos juntos, em busca de respeito e reconhecimento da importância da arte e da cultura. "Em busca de uma estrutura mínima que permita a promoção de políticas culturais por meio de ferramentas da gestão pública. Queremos pagamentos dos Editais, queremos a volta da Fundação Cultural, queremos valorização da área e o diálogo aberto com os artistas, queremos a implantação do Sistema Estadual de Cultura. Queremos um Fundo Cultural em conta específica destinado exclusivamente à cultura! Queremos respeito! Seja de dirigentes, seja de secretários, seja de governadores, seja de políticos, seja de qualquer um!", segundo União. (Matéria atualizada às 12h19)

Veja a íntegra da Carta Aberta:

Carta aberta da cultura 

Senhor governador, já de início: Um povo sem cultura é um povo sem identidade. E a arte, por sua vez, é uma linguagem utilizada pelo homem para se expressar e comunicar significados das mais diferentes formas, isso desde o “homem das cavernas”. Isto quem diz não são os artistas do Tocantins, é um pensamento mundial, pois não vivemos numa ilha, Senhor Governador. Mas, não é o nosso intuito ficarmos aqui no campo das ideias, o que esta classe espera é que este poder público permita ao artista deste Estado usufruir dos esforços de seu próprio trabalho, sem intervenção de gabinete ou “balcão de interesses”, foi por isso que participou e defende um evento democrático, seletivo, como outros concursos, os Editais Funcult/Procultura-2013, onde seus projetos artísticos foram avaliados por jurados competentes oriundos de outros Estados Brasileiros e representantes de instituições sérias, que inclusive, até então não foram pagos por seus serviços, realizados há mais de dois meses, diga-se de passagem.  Desta forma, a Vossa campanha começa a ficar comprometida, vai levar fama de “caloteiro”. 

Além disso, é preciso entender algo fundamental: O Senhor não faz ato de bondade honrando os compromissos com a Cultura. O Senhor sabe que existe neste país um Ministério só para a Cultura, é muito não é!? Mas existe, não somente um Ministério, mas um Sistema Nacional de Cultura. E se existe um Ministério, uma Ministra; existem leis que amparam toda esta estrutura. Da mesma forma, existe na esfera estadual, onde o Senhor é governador, Tocantins, um marco legal e “moral” de respeito com a classe artística principalmente, pois aqui ao contrário do que muitos defendem, não é uma terra sem leis, existe, por exemplo, a Lei do Fundo Cultural, nº 1.402/2003 que destina 0,5%, somente, do orçamento do Estado para a cultura, dentre outras, e para onde está indo este montante financeiro, que possibilita ao artista a promoção do saber,  inserção social,  lazer,  reflexão, arte e cultura. Artista este que muitas vezes até animam seus shows em campanha e discursos de inaugurações? Entenda! artistas não vivem de brisa, precisam de dignidade humana, ter o seu trabalho remunerado e da maneira mais democrática possível, por editais e outras ferramentas de políticas culturais sérias. Quem de fato está interessado em encontrar irregularidades neste processo, Senhor governador? O que mesmo se poderia fazer com 5 milhões, vindo da Lei do Fundo Cultural, além de empregar na cultura do Tocantins? Muitas festinhas no interior???  Esta classe não se calará, devolva a dignidade à classe artística! Respeite o povo tocantinense e sua produção cultural! Homologuem-se os editais já!!!

União dos artistas do Tocantins