Polí­tica

A divulgação da informação de que no encontro em Paraíso do Tocantins neste final de semana a militância teria rejeitado apoio á candidatura do pevista Marcelo Lelis foi esclarecida pelo pré-candidato ao Senado da legenda, Milne Freitas, petista histórico que acompanha de perto as articulações da legenda. Nesta sexta-feira representantes da cúpula do partido estão em reunião em Brasília.

“A militância opinou por uma candidatura própria mas com o diálogo aberto. Não dá para dizer que a decisão de ontem foi a do partido”, contestou. Freitas explicou que a legenda está fazendo encontros macrorregionais para discutir com a militância os rumos para a eleição de outubro e que nos três que aconteceram até o momento maioria optou o desejo por uma candidatura própria.

O próprio PT também encaminhou nota reafirmando que nenhuma decisão foi tomada nos encontros e esclarece que não houve nenhuma rejeição á aliança com o PV. “Entendemos que a matéria encaminhada aos meios de comunicação induz os jornalistas a entenderem que o encontro foi deliberativo e não consultivo, como continuarão sendo os próximos três encontros a se realizarem neste final de semana com caráter consultivos. Portanto, a referida matéria não é verdadeira quando reflete a posição de negação da possibilidade de aliança com O Partido Verde do pré-candidato Marcelo Lelis”, diz a nota.

O PT vai oficializar nos próximos dias a formação de um bloco com o PV de Lelis, como o Conexão Tocantins adiantou em primeira mão e o próprio presidente Julio Cesar Brasil já confirmou. Alguns petistas temem que o partido apoie uma candidatura de Lelis mas Freitas explicou que “ não há definição de quem será o candidato do bloco”, frisou.

Dentre os critérios analisados pelo PT está o palanque para a presidente Dilma além de recursos financeiros para arcar com a campanha majoritária e ainda tempo de TV, formação da proporcional dentre outros.

Para Freitas, que foi escolhido internamente por maioria como nome ao Senado vencendo inclusive o ex-prefeito de Palmas, Raul Filho, Mourão é um bom nome técnico mas não político. “ Tecnicamente o melhor nome é o do Mourão mas politicamente já não posso dizer o mesmo”, alfinetou.

No encontro em Paraíso Mourão chegou a dizer que antes de anunciar a formação de bloco, é importante definir os nomes das candidaturas para não haver problemas depois.

A decisão da aliança com o partido será tomada na convenção onde 126 delegados votam.

Veja a íntegra da nota do PT:

O Partido dos Trabalhadores vem esclarecer aos meios de comunicação que não houve deliberação quanto as  eleições de 2014, no Encontro da Macrorregional de Paraíso, bem como nos encontros de Dianópolis e Gurupi realizados nos dias 14 e 15, a Direção vem dialogando com a militância e dirigentes sobre as possibilidades de alianças a serem consideradas. Os Encontros, que ainda estão em curso, têm caráter consultivo para atualizar a conjuntura política e não tem caráter deliberativo, conforme estabelece a Resolução de Tática e Estratégia Eleitoral aprovado no Encontro Estadual do PT Tocantins, realizado em Maio.  

Respeitamos a opinião de parte dos  militantes e dirigentes da Macrorregional do PT de Paraíso que defendem a posição de candidatura própria do Partido, mas a Direção não pode ser irresponsável e esconder dos petistas que as outras alternativas estão abertas com grandes possibilidades de acontecerem. Bem como, reconhecemos o papel da assessoria de comunicação do nosso pré-candidato a Governador Paulo Mourão, mas entendemos que a matéria encaminhada aos meios de comunicação induz os jornalistas  a entenderem que o encontro foi deliberativo e não consultivo, como  continuarão sendo os próximos três encontros a se realizarem neste final de semana com caráter consultivos. Portanto, a referida matéria não  é verdadeira quando reflete a posição de negação da possibilidade  de  aliança com O Partido Verde do pré-candidato Marcelo Lelis.

Continuamos a trabalhar sob a orientação da resolução que aprova a pré-candidatura de Paulo Mourão a governador do Estado do Tocantins e que autoriza a manutenção “do diálogo com as pré–candidaturas de Marcelo Miranda (PMDB), de Marcelo Lelis (PV) e do Senador Ataídes Oliveira (PROS), para a construção da melhor alternativa para a reeleição da Presidenta Dilma Rousseff (PT). E para os objetivos do PT no Tocantins”

                                                                                                        Júlio Cesar Brasil

                                                                                               Presidente do PT Tocantins

Por: Redação

Tags: Júlio César Brasil